Home / Açores / 2018 foi um ano positivo para a fileira da carne nos Açores, afirma João Ponte
2018 foi um ano positivo para a fileira da carne nos Açores, afirma João Ponte

2018 foi um ano positivo para a fileira da carne nos Açores, afirma João Ponte

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que 2018 foi um ano extremamente positivo para a fileira da carne nos Açores, pelo aumento recorde do número de abates, pelo crescimento das exportações, pela melhoria das infraestruturas da rede regional de abate e pelas alterações aprovadas no âmbito do POSEI.

“Em 2018, do ponto de vista da produção, registou-se o maior número de animais abatidos na Região, ou seja, cerca de 73 mil. Esse crescimento resulta muito do aumento significativo verificado nas exportações, ou seja, 14,5%. Se analisarmos o crescimento médio dos abates na Região estamos a falar de um aumento de 8%”, salientou João Ponte, em declarações à margem da visita a um estabelecimento de venda de carnes no concelho da Ribeira Grande.

João Ponte destacou que estes indicadores positivos traduzem a dinâmica de crescimento e de afirmação sustentável da fileira da carne no contexto do setor agrícola dos Açores.

O Secretário Regional considerou que a situação favorável que se verifica no mercado da carne de bovino é resultado da aposta estratégica do Governo dos Açores nesta fileira, onde os investimentos na rede regional de abate são aqueles que têm maior visibilidade, bem como do grande trabalho que os agricultores têm feito ao nível da melhoria constante das suas produções.

Nesse sentido, recordou que, nos últimos anos, foi feito um grande investimento na modernização e ampliação da rede regional de abate, referindo que estão em fase de conclusão as obras do novo Matadouro da Graciosa e de ampliação da rede de frio do Matadouro de São Miguel.

Além dos investimentos infraestruturais, o Secretário Regional destacou a aposta que está a ser feita ao nível da certificação dos matadouros, que considerou ser fundamental, atendendo a que atualmente os consumidores e os clientes são cada vez mais exigentes.

Depois de se ter realizado a certificação dos matadouros da Terceira, de Santa Maria e do Pico no que respeita à ISO 22000, João Ponte adiantou que, em 2019, decorrerá o processo de certificação dos matadouros do Faial, da Graciosa, das Flores e de São Jorge, para atestar a segurança e a qualidade alimentar.

João Ponte, em declarações aos jornalistas, frisou ainda que o Governo Regional tem apostado também na introdução de alterações anuais no âmbito do POSEI, com efeitos muito positivos para o setor da carne.

“Falo, em concreto, da divisão do prémio ao abate por semestres em 2018, bem como da redução do período de retenção dos animais, que passou de cinco para três meses”, afirmou, acrescentando que no POSEI 2019 foi ainda introduzida uma ajuda ao transporte de animais interilhas, no sentido de incentivar o abate na Região e posterior exportação em carcaças.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas salientou, contudo, que há ainda desafios a vencer para fortalecer ainda mais a fileira da carne, que passam por desmanchar mais carne nos Açores, melhorar a conformidade das carcaças, ter capacidade para fornecer carne com regularidade aos mercados e melhorar em termos de organização.

Para João Ponte, desmanchar mais carne nos matadouros da Região significa deixar no arquipélago mais valias económicas e contribuir para criar mais postos de trabalho.

 

GaCS/RL Açores

 

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top