Açores têm responsabilidade especial na definição das políticas marítimas do país

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou este domingo, na Horta, que “o Dia Nacional do Mar é especialmente relevante para os Açores, onde está mais de metade do Mar Português”.

Fausto Brito e Abreu falava à margem da visita ao Aquário de Porto Pim – Estação de Peixes Vivos, para assinalar o Dia Nacional do Mar na Região.

“Esta data deve ser assinalada pelos Açorianos com orgulho e deve ser aproveitada para continuarmos a desenvolver a nossa identidade marítima”, defendeu Fausto Brito e Abreu, destacando que o mar nos Açores “é espaço para lazer, desporto, cultura, ciência e múltiplas atividades económicas”.

O Secretário Regional do Mar sublinhou também a importância das “competências atribuídas à Região Autónoma, constitucionalmente e pelo Estatuto Político-Administrativo, na definição das políticas marítimas, que muito contribuem para o nosso bem-estar e desenvolvimento económico”.

“Com exceção das questões relativas à defesa nacional ou soberania do Estado, todas as outras políticas ligadas ao mar são de competência exclusiva da Região ou de competência partilhada com o Governo da República”, frisou.

Brito e Abreu salientou acreditar que “estamos numa fase da história de Portugal em que os Açores, à semelhança do que aconteceu nos descobrimentos marítimos da era quinhentista, terão um papel essencial na exploração dos mares e no crescimento económico do país”.

“O mar é um desígnio estratégico dos Açores pela sua importância enquanto fonte de riqueza para o arquipélago”, afirmou, lembrando que “os recursos marinhos de que dispomos são determinantes para o crescimento económico da Região e criação de novos empregos”.

Durante a visita ao Aquário de Porto Pim, o Secretário Regional do Mar reconheceu a importância deste espaço “para a promoção e divulgação de conhecimento sobre o Mar dos Açores, para além do valor histórico do imóvel”.

Brito e Abreu disse ainda que “o aquário simboliza o potencial da economia azul nos Açores”, frisando que “os peixes que aqui vemos foram pescados por pescadores locais, há projetos de investigação científica a serem feitos aqui como, por exemplo, um trabalho recente de implantação de transmissores em lulas, e há também uma empresa a exportar algumas destas espécies para aquários públicos em todo o mundo”.

“Temos aqui um exemplo perfeito das sinergias positivas entre o conhecimento científico e economia do mar”, afirmou.

No Aquário de Porto Pim é possível conhecer cerca de 25 espécies costeiras mais comuns dos Açores. Para além do aquário e da estação de peixes vivos, é possível visitar uma exposição sobre o Parque Marinho dos Açores e visionar um filme sobre o mar profundo da plataforma continental contígua ao arquipélago.

Inaugurado em 2013, o Aquário resultou de um entendimento entre o Governo Regional e uma empresa privada que faz aclimatação e estabulação de peixes e já recebeu cerca de 6500 visitantes.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta