Ana Espínola saúda prémios nacionais conquistados pelas conservas Santa Catarina e pelo Queijo de São Jorge

A Deputada do CDS-PP Açores Ana Espínola propôs, esta quinta-feira, a aprovação de um Voto de Saudação “ao Povo da ilha de São Jorge”, com especial destaque “aos profissionais da pesca, aos funcionários da conserveira Santa Catarina e aos produtores de leite e queijo” da ilha, pela recente conquista de mais um conjunto de prémios de excelência atribuídos às conservas e ao queijo DOP (Denominação de Origem Protegida). O Voto foi aprovado por unanimidade.

Apesar das referências elogiosas pelo meritório trabalho desenvolvido na ilha, a Deputada popular não deixou passar a oportunidade de frisar “as imensas dificuldades sociais e económicas que a ilha de São Jorge atravessa, que se registam através do êxodo constante de população que origina uma desertificação proporcionada pela incapacidade de gerar postos de trabalho e emprego qualificado”, considerando que as notícias destes prémios “fazem-nos continuar a sentir vontade de lutar por um melhor futuro para aquela ilha… para as nossas ilhas”.

Isto porque, salientou, “apesar da situação sócio-económica da ilha, a que não são alheios os constrangimentos financeiros que assolam os seus principais sectores produtivos, mormente a indústria transformadora de lacticínios e de conservas, assistimos, mais uma vez, ao reconhecimento público nacional e internacional do valor dos produtos com origem na ilha de São Jorge, nos Açores”.

“Há conta do trabalho abnegado e merecedor de elogio que os produtores de leite e a fábrica de conservas de Santa Catarina tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos, hoje, nos Açores, mas essencialmente além fronteiras regionais, os consumidores finais identificam várias produções insulares, como produtos de excelência e elevada qualidade, dignos de um verdadeiro segmento gourmet, mesmo sem qualquer vigência da Marca Açores”, registou Ana Espínola, apontando “as conservas de atum que brotam da Santa Catarina e o nosso queijo de São Jorge”, embora “outros produtos regionais pudessem e devessem ter já outro reconhecimento nos mercados globais. Tem faltado uma visão global”.

No que diz respeito aos prémios conquistados pela indústria conserveira sedeada na Calheta e maior empregadora da ilha (cerca de 130 funcionários, maioritariamente mulheres), Ana Espínola salientou que os produtos “tem vindo a ser distinguidos com prémios que valorizam e acrescentam valor aos produtos que resultam de uma laboração cuidada e de uma actividade piscatória assente na sustentabilidade e boas práticas”.

“A marca ‘Santa Catarina’ tem conseguido arrecadar, ao longo dos últimos anos, justo reconhecimento, através da conquista de importantes prémios e galardões, tendo já ganho a sua quota de mercado nas principais lojas gourmet e da especialidade. Nos últimos dois anos, a Santa Catarina – Indústria Conserveira, S.A, conquistou, no Concurso Nacional de Conservas de Pescado, cerca de uma dezena de prémios, entre eles, na categoria o ‘Melhor dos Melhores’. Este ano, a empresa acrescentou ao seu portfolio de prémios mais 5 troféus. No 4º Concurso Nacional de Conservas de Pescado, realizado em Santarém, pelo quarto ano consecutivo, coube à Santa Catarina o Prémio ‘Melhor dos Melhores’, o mais relevante do concurso, com o Filete de atum com Pimenta dos Açores, que também conquistou uma Medalha de Ouro. Em prova cega de produtos de várias conserveiras portuguesas e de acordo com as regras do concurso, a Santa Catarina conquistou também duas medalhas de ouro com o Filete de atum em Azeite Biológico, 250g, em frasco de vidro e com o Paté de Atum com Orégãos. Este ano, pela primeira vez, verificou-se uma prova de avaliação à qualidade e estética do design das embalagens, na qual a Santa Catarina obteve, também, uma menção honrosa, respectivamente para as embalagens das especialidades gourmet, pela forma cuidada da apresentação e criteriosa escolha do padrão gráfico e cores das cintas”, disse.

Por outro lado, Ana Espínola destacou também os prémios conquistados pelos queijos DOP: “o famoso Queijo, eis que, também há que realçar os prémios alcançados, no V Concurso Nacional de Queijos Tradicionais Portugueses”.

“No passado dia 25 de Março, o queijo São Jorge DOP 7 meses de cura, produzido pela Uniqueijo, foi considerado ‘O Melhor dos Melhores’. O mesmo queijo, na categoria ‘Queijo de São Jorge’ recebeu a Medalha de Ouro e o queijo São Jorge DOP 4 meses de cura arrecadou a Medalha de Prata. Estes prémios, nalguns casos, repetem-se, depois de conquistas semelhantes em anos anteriores”, afirmou.

“O Queijo de São Jorge é o mais afamado dos queijos açorianos com classificação DOP. Para além da sua tradicional receita, contribuem para a sua excelência inquestionável e sucessivamente premiada, as pastagens e as influências do clima da ilha que lhe conferem características de excepção, bem como a qualidade do leite produzido que resulta do excepcional trabalho dos lavradores Jorgenses”, salientou.

Assim, o Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores propôs que a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores saudasse “a empresa Santa Catarina – Indústria Conserveira, S.A., todos os seus funcionários e administradores, bem como ao Povo da ilha de São Jorge, com especial destaque aos profissionais da pesca, pela conquista de mais cinco prémios, entre eles o mais importante da competição, no Concurso Nacional de Conservas de Pescado”, bem assim “todos os produtores de leite e queijo da ilha de São Jorge, todos os funcionários e administradores da Uniqueijo, Cooperativa da Beira, Cooperativa dos Lourais e Cooperativa Finisterra, pelo árduo trabalho que desenvolvem para produzir dos melhores queijos que Portugal, confirmado novamente com a atribuição de importantes prémios nacionais ao Queijo São Jorge DOP”.

Os populares solicitam que deste Voto seja dado conhecimento “à Santa Catarina – Indústria Conserveira, S.A., seus funcionários e administradores, à Assembleia e Câmara Municipal da Calheta, à Assembleia e Câmara Municipal das Velas e à Associação de Pescadores da ilha de São Jorge”, bem como “à Uniqueijo, todos os seus associados, funcionários e administradores; à Cooperativa da Beira, todos os seus associados, funcionários e administradores; à Cooperativa dos Lourais, todos os seus associados, funcionários e administradores; à Cooperativa Finisterra, todos os seus associados, funcionários e administradores; à Associação de Agricultores da ilha de São Jorge e à Associação de Jovens Agricultores da Ilha de São Jorge”.

GI CDS-PP Açores/RL Açores

Deixe uma resposta