António Aguiar aponta aspetos positivos e negativos desde que assumiu funções como presidente da Uniqueijo (c/áudio)

Em entrevista recente à RL Açores, António Aguiar apontou os aspetos positivos e negativos desde que assumiu funções já há seis meses como presidente da União de Cooperativas.

“Tem havido uma aceitação, um apoio e mesmo um carinho por parte da lavoura neste meu novo desafio à frente dos destinos da União”, mencionou o presidente, acrescentando que “também tem havido um bom entendimento com a Lactaçores no que respeita ao acordo de mandato-gestão que foi assinado por ambas as partes”.

Quanto à situação da reestruturação da divida bancária, António Aguiar considera que este foi “um aspeto muito positivo”, uma vez que vai “originar uma poupança anual na ordem dos 250 mil euros”.

O presidente da Uniqueijo salientou ainda a assinatura do projeto de investimento do PRORURAL, que já possibilitou à União receber 725 mil euros, destacando ainda a liquidação de pagamentos a fornecedores.

“O desbloquear e a assinatura do projeto de investimento do PRORURAL, em que posso adiantar que já recebemos grande parte desse projeto, 725 mil euros, que corresponde à parte que já está executada e paga, sendo que ao longo deste mês vamos finalizar esse projeto”, frisou António Aguiar.

Como aspeto mais difícil, António Aguiar apontou “as modificações no quadro de pessoal que tiveram de ser feitas, numa tentativa de rentabilizar os nossos recursos humanos, bem como algumas dispensas no quadro de pessoal de forma a reduzir custos”.

Apesar de considerar que estas situações “são sempre complicadas e difíceis”, António Aguiar admite que “tiveram de ser feitas para bem da Uniqueijo”.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta