Home / Destaque / Apesar das dificuldades, o FC Marítimo Velense mantém as portas abertas há 50 anos
Apesar das dificuldades, o FC Marítimo Velense mantém as portas abertas há 50 anos

Apesar das dificuldades, o FC Marítimo Velense mantém as portas abertas há 50 anos

O Futebol Clube Marítimo Velense celebrou este domingo, dia 5 de Outubro, 50 anos de existência. Apesar das dificuldades que o clube atravessa de momento e que foram relembradas por Sena Fernandes, presidente da direção, uma data com esta importância não pôde passar em branco.

Numa cerimónia onde foram relembrados grandes nomes pertencentes ao clube e que tanto contribuíram para a história do Marítimo Velense, Sena Fernandes revelou que não tem sido fácil manter as portas abertas, muito em parte devido às dívidas adjacentes à construção do pavilhão.

“O Marítimo depois de ter feito as últimas obras, depois de ter feito o pavilhão, ficou ligeiramente pior, porque contraiu-se dívidas para fazer o pavilhão”, revelou Sena Fernandes, salientado que basta saber como funciona a banca, pois não se pagando as dívidas os juros aumentam, o que dificulta ainda mais as coisas.

Quanto ao futuro do clube, o presidente da direção referiu que é preciso “traçar objetivos” para continuar em frente e ir apostando noutras modalidades sem ser o futebol, como por exemplo o voleibol, modalidade na qual o Marítimo já constituiu equipa em várias categorias.

“Enquanto houver objetivos, eu penso que temos uma maneira de olhar para a vida diferente, pois quando não se tem objetivos as coisas morrem”.

Sena Fernandes salientou que já por três anos consecutivos que o Marítimo Velense tem voleibol feminino em várias categorias, até aos seniores, ressalvando que vão tentar aproveitar ao máximo esta modalidade e “com estes novos objetivos se calhar a vontade é outra de continuar, de estar à frente das coisas, porque quando não há objetivos não vale a pena”.

Por seu turno, o presidente do Município velense, Luís Silveira, que também marcou presença nesta celebração, afirmou que “é importante manter estas coletividades abertas”, salientando que é motivo de orgulho para o município ver uma instituição como o FC Marítimo a celebrar 50 anos.

“O Município vai apoiando as instituições a todos os níveis da forma que pode e que lhe é possível com os recursos que tem”, frisou o autarca.

Luís Silveira referiu que anualmente o município gasta cerca de 50 mil euros do seu orçamento apenas para manter as infra-estruturas desportivas, nomeadamente o Municipal das Velas e o campo da Urzelina.

Também presente nesta cerimónia esteve o Diretor Regional do Turismo em representação do Governo Regional.

João Bettencourt salientou a importância dos 50 anos do FC Marítimo na formação a nível desportivo e também social de todos os que por lá passaram ao longo destes 50 anos.

“É uma data bastante importante quer do ponto de vista do palmarés que tem tido aqui para a ilha de São Jorge no que diz respeito ao desporto que tem desenvolvido, mas também o aspeto social em que, de certa forma, tem ao longo destes 50 anos, de certeza absoluta, formado imensos jovens não só do ponto de vista desportivo, mas também do ponto de vista social”.

Recorde-se que esta foi uma cerimónia que começou pela celebração de uma missa em homenagem dos sócios já falecidos e, então, posteriormente, e por mais uma vez, encheu-se o pavilhão do Marítimo Velense, onde houve lugar para um almoço para sócios e convidados com as tradicionais sopas do Espírito Santo.

Liliana Andrade/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top