Home / Açores / Artur Lima critica: SATA não tem estratégia e vive de experimentalismos
Artur Lima critica: SATA não tem estratégia e vive de experimentalismos

Artur Lima critica: SATA não tem estratégia e vive de experimentalismos

O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, Artur Lima, criticou, esta terça-feira, a falta de estratégia para assegurar o futuro e a sustentabilidade do Grupo SATA, apontando maior apreensão para com a SATA Internacional e apelando ao Secretário Regional dos Transportes para demitir o Conselho de Administração da empresa que nem sequer os horários de verão das ligações inter-ilhas foi “competente” para fazer em condições.

No âmbito de uma Interpelação ao Governo Regional sobre o futuro do Grupo SATA, Artur Lima indicou várias rotas criadas para a Europa pela SATA Internacional que já foram encerradas “porque davam prejuízo”, referindo que “a SATA faz estudos de mercado e vive de experimentalismos que não servem nem os Açores, nem os Açorianos”.

O Líder Parlamentar popular desafiou ainda o titular da pasta dos transportes “a demitir de funções” a administração da transportadora aérea regional alegando que o próprio Secretário Regional “lhes passou o maior atestado de incompetência de todos quando assumiu, em plenário, que tinha dado orientações para serem corrigidos os horários de verão das ligações inter-ilhas”. Para além disso, acrescentou, “uma administração que precisa substituir os seus aviões da frota de médio e longo curso até 2015 e ainda hoje não sabe que avião vai comprar não está lá a fazer nada”.

O CDS-PP voltou a apontar discriminações graves promovidas pela SATA entre Açorianos, nomeadamente dando exemplos de ligações abrangidas pelas regras de serviço público, como a rota Ponta Delgada – Funchal que é mais cara para todos os Açorianos que não residam em São Miguel, para além de obrigar em, pelo menos, uma noite os passageiros a terem que suportar encargos com alojamento para pernoita.

Tentando desmistificar o chavão socialista de que a SATA existe para servir os Açores e os Açorianos, Artur Lima apontou mais alguns exemplos que, no seu entender, põem por terra este argumento: “Senhor Secretário dos Transportes, tenho aqui uma simulação feita há pouco no site da SATA para uma ligação que a SATA faz de Ponta Delgada para Paris (Orly). Para embarcar a 25 de Abril e regressar a 2 de Maio a tarifa desta ligação custa 45 euros, acrescidas de taxas, o que perfaz um total de 186,02 euros. Sabe o Senhor Secretário quanto é que fica a um Açoriano de Ponta Delgada, nos mesmos dias e na mesma companhia, viajar para Lisboa? Olhe: a tarifa mais barata que se consegue é de 139 euros, acrescidos de taxas, perfaz um total de 223.59 euros! E estamos a falar numa ligação de serviço público. A SATA pratica tarifas de Ponta Delgada para Paris a 45 euros, mas se quisermos viajar entre a Terceira e São Jorge ou a Graciosa a tarifa é de 68 euros; de Ponta Delgada para a Terceira a tarifa é de 124 euros e da Terceira para a Horta a tarifa é de 118 euros. Mas ainda lhe digo mais Senhor Secretário: sabe quanto é que um Terceirense que queira ir a Paris naquela ligação da SATA (partir a 25 de Abril e regressar a 2 de Maio) terá que pagar? O Terceirense terá que pagar 346,77 euros, contra os 186 do Açoriano de São Miguel e com a agravante de ter que ir de véspera e suportar uma noite de hotel em Ponta Delgada”, apontou.

A pergunta que mais vezes Artur Lima fez ao Governo durante este debate foi: “qual a estratégia futura para garantir a sustentabilidade da SATA?”. Mas a esta pergunta a única resposta foi: “a SATA existe para servir os Açores e os Açorianos”.

RL/CDS-PP

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top