BE quer medidas de fixação de profissionais de saúde nas ilhas com menos população

“Têm que existir políticas que contrariem o envelhecimento e a desertificação das ilhas com menos população”, disse o deputado Paulo Mendes no final da visita estatutária de dois dias do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda à ilha das Flores. Apoios à fixação de profissionais da área da Saúde e apoios à exportação para as micro-empresas foram duas medidas defendidas pelo deputado do BE.

A criação de medidas de apoio à fixação de médicos, enfermeiros e outros profissionais de Saúde é uma forma de disponibilizar melhores cuidados de saúde, ao mesmo que contribui para o aumento e rejuvenescimento da população.

“As empresas mais pequenas – aquelas que não têm necessidade de ter contabilidade organizada – são as que têm ficados excluídas, por exemplo, dos apoios à exportação”, disse o deputado do BE, acrescentando que “nas Flores, esta medida podia fazer muita diferença”.

No que diz respeito ao Ambiente, Paulo Mendes apontou a gestão de resíduos nas Flores como um bom exemplo. Isto porque, devido à opção pelo tratamento mecânico e biológico, a ilha vai cumprir as metas de reciclagem que está obrigada a alcançar até 2020. “Um objetivo que está muito longe de ser atingido na Terceira e em São Miguel, ilhas que optaram pela incineração”, disse o deputado.

O BE – assim como as associações ambientalistas – defendem que a opção pelo tratamento mecânico e biológico deve ser alargada a todas as ilhas.

No domínio do Ambiente, Paulo Mendes lamenta, no entanto, a deficiente selagem do aterro. Um problema que tem que ser resolvido.

Durante dois dias, o deputado do Bloco de Esquerda reuniu com várias entidades da ilha das Flores, nomeadamente, as autarquias de Santa Cruz e Lajes, Associação de Pescadores Florentinos, Santa Casa da Misericórdia, Portos dos Açores, AmbiFlores e Associação Nacional de Bombeiros.

GI BE Açores/RL Açores

Deixe uma resposta