CDS preferia Governo sem maioria e diz que PSD já não é principal partido da oposição

 

O Presidente do CDS-PP Açores, Artur Lima, afirmou, esta segunda-feira, que não vê obstáculos à formação de um governo socialista na Região, na sequência das eleições Regionais do passado dia 16 de outubro, se bem que “preferia que fosse um governo sem maioria”, porque “seria bem mais produtivo do que um governo com maioria que está mais habituado e bem instalado”.

À saída de uma audiência com o Representante da República para os Açores (a quem cabe nomear o Presidente do Governo Regional, tendo em conta os resultados eleitorais, depois de ouvidos os partidos políticos representados no Parlamento), Artur Lima sublinhou ainda que as últimas eleições fizeram com que “o PSD deixasse de ser o principal partido da oposição”.

“As últimas eleições fizeram com que o PSD deixasse de ser o principal partido da oposição. A partir de agora os outros partidos da oposição e o PS formam uma maioria qualificada o que faz com que se deixe de precisar do PSD para rever leis fundamentais para a autonomia e para o funcionamento da democracia nos Açores”, afirmou.

Considerando que as prioridades do CDS-PP “foram muito bem definidas e apresentadas aos Açorianos em campanha eleitoral”, o Líder popular regional acentuou que o trabalho a desenvolver pelo seu Grupo Parlamentar, nesta nova Legislatura, “será o de dar valor aos Açores e dar valor aos votos dos Açorianos”, assumindo-se “como os Açorianos gostam de ver o CDS”, ou seja, “uma oposição critica, mas construtiva”.

Os incentivos à natalidade, os apoios aos jovens que ingressem no ensino superior, a redução da idade de reforma dos Açorianos em 3 anos face aos continentais, bandeiras eleitorais do CDS, foram novamente enumeradas por Artur Lima que assumiu ainda que “a saúde vai ser, como tem vindo a ser, uma prioridade absoluta para o CDS”.

Aliás, na área da saúde, o Presidente dos democratas-cristãos foi claro: “vamos continuar a dar muito atenção aos doentes deslocados, que são os que mais sofrem no serviço regional de saúde”, comprometendo-se a propor “a revogação das portarias que foram impostas, como austeridade, pelo Governo Regional anterior”, relativamente às diárias dos doentes deslocados.

Na próxima quinta-feira tomarão posse, no Parlamento dos Açores, os novos deputados eleitos na sequência nas eleições Regionais, tendo o CDS-PP reforçado a sua representação elegendo 4 deputados para a nova Legislatura.

GI CDS-PP Açores/RL Açores

Deixe uma resposta