Classificação das Fajãs de S. Jorge como Reserva da Biosfera “vai acrescentar valor” aos produtos e serviços da ilha

O Diretor Regional do Ambiente afirmou hoje, em Attard, na ilha de Malta, que a classificação das Fajãs de S. Jorge como Reserva da Biosfera vai acrescentar valor aos produtos e serviços desta ilha dos Açores.

“As mais de sete dezenas de fajãs de S. Jorge marcaram, ao longo dos séculos, a forma de ser e o modo de vida dos jorgenses, sendo que a sua classificação como Reserva da Biosfera constituirá uma oportunidade de afirmação à escala global, acrescentando valor aos produtos e serviços que aí são gerados”, frisou Hernâni Jorge, em declarações à margem de uma sessão de provas de produtos desta ilha, integrada no programa da V Conferência da Rede Mundial de Reservas da Biosfera em Ilhas e Zonas Costeiras.

A candidatura das Fajãs de S. Jorge a Reserva da Biosfera da UNESCO foi apresentada hoje aos participantes da conferência, que tiveram, assim, uma oportunidade para conhecer o projeto na fase de desenvolvimento em que se encontra, designadamente a proposta de zonamento aprovada na última reunião da comissão de acompanhamento.

Na apresentação, o Diretor Regional do Ambiente salientou que esta candidatura “visa a preservação e a promoção do património natural e cultural da ilha, valorizando os métodos tradicionais de uso e ocupação dos solos, no quadro da estratégia de desenvolvimento sustentável que o Governo dos Açores vem implementando na ilha e em toda a Região”.

“A futura Reserva da Biosfera das Fajãs de S. Jorge conferirá, ainda, uma maior escala à marca Biosfera Açores, que já integra as Reservas da Biosfera do Corvo, da Graciosa e das Flores, reforçando a sua capacidade de projeção no contexto da Rede Global e das redes regionais ou temáticas que integra, designadamente a REDBIOS e a Rede das Ilhas e Zonas Costeiras”, salientou Hernâni Jorge.

A candidatura das Fajãs de S. Jorge deverá ser formalizada junto da UNESCO em setembro.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta