Com a Fajã dos Vimes como pano de fundo Marcelo diz “até breve” aos Açores e Vasco Cordeiro afirma que Presidente da República é “aliado de peso” (c/áudio)

A chuva miudinha que caía após o almoço na freguesia da Ribeira Seca foi para Marcelo Rebelo de Sousa um pronúncio da saudade que já sente ainda antes de deixar a região.

No último dia da visita aos Açores Marcelo esteve em São Jorge, onde almoçou com as forças vivas da ilha e visitou a Uniqueijo.

Com a vista para a Fajã dos Vimes como cenário, Marcelo não disse adeus, mas sim “até breve” aos Açores.

Marcelo elogiou ainda o povo açoriano nesta que foi uma “jornada de afeto”, bem como os protagonistas políticos, nomeadamente o Governo Regional, a Assembleia Legislativa Regional e todos os grupos parlamentares.

No balanço final da visita, Marcelo Rebelo de Sousa garantiu partir atento ao que a República pode fazer pelos Açores.

O Presidente da República disse ainda partir dos Açores com uma “expectativa acrescida, para não dizer uma certeza reforçada”, relativamente ao desenvolvimento económico, social, cultural e cívico da região.

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou esta terça-feira em São Jorge que a região tem no chefe de Estado “um aliado de peso” e considerou que a visita de Marcelo Rebelo de Sousa ao arquipélago “excedeu claramente as expectativas”.

De acordo com Vasco Cordeiro os Açores têm no Presidente da República “um aliado de peso”.

Vasco Cordeiro destacou a importância desta visita, explicando que logo no primeiro dia teve a oportunidade de transmitir ao Presidente da República “algumas questões” que para o arquipélago “devem ter também uma intervenção da República, porque são matérias que dizem respeito ao Estado”.

Entre outras matérias a situação da base das Lajes, na ilha Terceira, e o processo de reforma da autonomia, mas também setores como a agricultura e as pescas foram assuntos abordados logo na chegada ao Coro, no primeiro dia da vista.

Vasco Cordeiro acrescentou estar convicto de que, “em todas estas matérias”, o executivo regional irá buscar “a melhor solução para os Açores” e, citando Marcelo Rebelo de Sousa, “o melhor para os Açores é também o melhor para Portugal”.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta