“Conhecimento promoverá empreendedorismo marinho”, afirma Serrão Santos

Ricardo Serrão Santos presidiu, esta terça-feira, em Bruxelas, ao painel “a caminho do crescimento azul” que contou com a participação de Karmenu Vella, Comissário Europeu do Ambiente, Mar e Pescas. O painel sobre o “crescimento azul” fez parte da primeira conferência promovida pelo “Intergrupo Mares, Rios, Ilhas e Zonas Costeiras”. Na conferência, denominada “Como desenvolver uma Europa mais forte no mar”, participaram eurodeputados de diversos grupos políticos, entre os quais as eurodeputadas portuguesas Cláudia Monteiro de Aguiar e Sofia Ribeiro.

O Intergupo, do qual Serrão Santos é Vice-Presidente para o “conhecimento Marítimo”, permite desenvolver um diálogo estruturado entre os responsáveis políticos e a sociedade civil no seio do Parlamento Europeu, sobre temas que emanam da Conferência das Regiões Periféricas Marítimas da Europa, CRPM, que é Presidida por Vasco Cordeiro e engloba os interesses de 150 regiões da Europa, incluindo os Açores, representando quase 200 milhões de cidadãos.

Na sua intervenção Ricardo Serrão Santos defendeu que o “crescimento azul tem que seguir lado a lado com o desenvolvimento sustentável baseado numa abordagem precaucionaria, conhecimento cientifico e inovação amiga do ambiente”. Para o socialista “este esforço é enorme sendo  necessária uma continuada e resiliente aposta no investimento em investigação fundamental em ciências marinhas e em tecnologia, simultaneamente com uma identificação rigorosa dos limites de crescimento azul que o ecossistema pode suportar, baseados nos critérios determinados pela Diretiva Quadro – Estratégia Marinha”.

O eurodeputado disse, ainda, que “é importante continuar o diálogo entre políticos, comunicadores e jornalistas, industria e comércio, instituições governamentais e organizações não governamentais” (ONGs).

Para Serrão Santos “os Intergrupos do Parlamento Europeu, nomeadamente este, têm um papel importante no sentido de estimular este diálogo contribuindo para definir os limites do que pode ser considerado crescimento azul sustentável”.

Em relação aos Açores, Serrão Santos realça que áreas como o turismo, as biotecnologias têm um potencial de crescimento natural, com elegibilidades financeiras claras no âmbito do Fundo Europeu para os Assuntos do Mar e Pescas e outras fontes de financiamento europeias. Tudo isto apela ao investimento em conhecimento de forma a promover o empreendedorismo marinho nos Açores.

GI RSS/RL Açores

Deixe uma resposta