Conselho de Ilha vai reivindicar junto do Governo estado da obra do Caminho da Fajã do Ouvidor e Calado do Porto Comercial das Velas (c/áudio)

O Conselho de Ilha de São Jorge reuniu esta quinta-feira em sessão ordinária nos Paços do Concelho das Velas.

Durante a reunião João Paulo Oliveira levantou o assunto do caminho da Fajã do Ouvidor que está agora a ser intervencionado pelo Governo Regional.

O conselheiro lamentou o estado da obra, tecendo duras críticas à qualidade do asfalto que está a deixar o piso irregular, dizendo mesmo que o asfalto é deitado frio, enquanto deveria ser deitado quente.

A estas críticas associaram-se outros conselheiros entre os quais o presidente da Câmara Municipal das Velas, Luís Silveira, que adiantou já ter transmitido a questão ao Secretário Regional dos Transportes e Turismo que entretanto já esteve em São Jorge e já visitou a obra, tendo ainda transmitido ao autarca que a qualidade do asfalto iria sr analisada pela Norma Açores. Uma análise sobre a qual ainda não se sabe nada.

Posto isto, e no final da reunião, a presidente do Conselho de Ilha afirmou que o órgão vai tomar uma posição e chamar o Governo à atenção.

Isabel Teixeira disse ainda que o conselho de Ilha vai também reunir com o Delegado das Obras Públicas em São Jorge, que é quem está a fiscalizar a obra.

Ainda durante a reunião, o autarca velense levantou a questão do calado do Porto das Velas que tem gerado grande controvérsia na ilha.

Luís Silveira indagou se faz ou não sentido estar a fazer uma obra que, como disse, é para o futuro, e onde o calado que poderia ficar maior será apenas de -8 metros, aconselhando este órgão a questionar o Governo o porquê da obra ficar assim.

A estas críticas associou-se igualmente António Laureno, presidente da Associação de Pescadores, que considerou fundamental que o Conselho de Ilha tenha uma base técnica para poder reivindicar.

Uma sugestão acatada por este órgão que vai pedir um parecer técnico para então depois questionar o Governo sobre esta situação, tal como revelou Isabel Teixeira.

A presidente afirmou ainda não querer acreditar que a situação está a acontecer de propósito.

Ficou ainda decidido nesta reunião do Conselho de Ilha a emissão de um ofício a questionar o Governo Regional sobre a obra da rampa Ro-ro no porto da Calheta, de forma a saber quando é que vai avança e se vai mesmo ser feita.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta