“Criação de emprego é o principal desafio que temos pela frente”, afirmou Vasco Cordeiro

“O principal desafio que temos no presente é o da criação de emprego e não nos podemos atemorizar com a dimensão da tarefa que temos à nossa frente”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Partido Socialista dos Açores falava sábado, em Vila Franca do Campo, no encerramento das “Jornadas Autárquicas de S. Miguel”, perante uma plateia essencialmente constituída por autarcas eleitos pelo PS.

Vasco Cordeiro fez questão de “analisar factos, a verdade e a realidade”, considerando que “nos Açores, temos criado emprego” e que “as medidas que o Governo Regional tem implementado têm ajudado a economia açoriana a criar emprego”.

Para o Presidente do PS/Açores, “a leitura que deve ser feita é que precisamos de trabalhar ainda mais” e que “essa criação de emprego tem de ser mais rápida, para compensar aquilo que tem sido a entrada de mais pessoas no mercado de trabalho”.

Vasco Cordeiro acusou “quem recorre aos números do desemprego para tirar proveitos políticos” de “nunca ter apresentado soluções concretas para a criação de emprego”, nem “nunca ter tido propostas concretas, que vão mais além daquelas que o Governo dos Açores já implementou”.

“O PS é o garante e o líder de uma estratégia que coloca acima de tudo os Açores e políticas que levam ao ressurgimento da nossa economia”, apresentando “uma estratégia que põe em prática medidas que ajudam os açorianos, nesta fase que é fruto da austeridade que nos tem sido imposta pelo Governo da República da responsabilidade do PSD-CDS/PP”, realçou Vasco Cordeiro.

O Presidente do PS Açores frisou que “a estratégia do PS para a Região passa por alavancar o posicionamento europeu dos Açores, através da exportação e do potencial dos nossos recursos próprios”.

Para Vasco Cordeiro, a “localização do nosso arquipélago, centralmente posicionado entre a Europa e os Estados Unidos da América, deve ser afirmada como uma mais-valia” e os Açores devem “recorrer às tecnologias da informação para aproveitar o potencial do seu espaço físico”, mas também para “atenuar os fatores do isolamento e da distância”.

Na visão do Presidente do PS/Açores, a Região deverá construir “cada vez mais uma sociedade inclusiva, que crie oportunidades para os Açorianos atingirem a realização pessoal, profissional e cultural, através da educação, saúde e habitação, da cultura, da solidariedade social”.

Para Vasco Cordeiro, é importante “construir políticas e respostas de proteção do ambiente, protegendo a biodiversidade” e “afirmando um património que deve ser passado à geração seguinte”.

Finalizando o seu discurso, Vasco Cordeiro alertou que a “concretização desta visão estratégica é uma tarefa de todos” e que deve existir “uma união de aliados e de vontades em torno desta ambição para os Açores”.

Para o Presidente do PS/Açores o que estará em causa nas próximas eleições europeias é “ter aliados dos Açores em Bruxelas, ao nível da União Europeia”.

Denunciando que ”enquanto alguns se perdem na generalidade de em Bruxelas querer tratar de questões sindicais”, o candidato socialista às eleições do próximo dia 25 de maio, Ricardo Serrão Santos, apresenta “mérito, qualidade, trabalho e empenho” de quem “conhece os Açores como a palma das suas mãos, acima e abaixo de água”.

“Ricardo Serrão Santos tem prestígio nacional e internacional, tendo a seu favor o facto de ter afirmado com toda a clareza no início desta sua caminhada, ao que vinha e o que pretendia – para ele os objetivos principais do seu projeto são defender os Açores, a sua agricultura, pescas, estatuto de região ultraperiférica, política de coesão, defender o mar e o potencial que ele apresenta para o nosso desenvolvimento”, concluiu Vasco Cordeiro.

PS Açores/RL Açores

Deixe uma resposta