Home / Destaque / Criação de empresas nos Açores é maior do que no resto do país
Criação de empresas nos Açores é maior do que no resto do país

Criação de empresas nos Açores é maior do que no resto do país

A Região Autónoma dos Açores lidera o conjunto de regiões do país no que se refere à taxa de constituição de empresas por cada dissolução natural ocorrida, segundo o mais recente Barómetro Empresarial publicado pela Informa D&B.

Este barómetro indica que os Açores apresentaram, entre março de 2013 e fevereiro de 2014, um índice de renovação que se traduz pela constituição de 3,9 empresas por cada uma dissolvida.

O Vice-Presidente do Governo dos Açores destacou o facto de terem sido criadas 499 empresas nos últimos 12 meses, quase quatro vezes mais do que as 129 que encerraram a sua atividade.

“Este indicador é extremamente importante porque permite confirmar uma tendência de crescimento do número de empresas em atividade nos Açores, o que revela uma confiança no futuro da região, um novo dinamismo da atividade económica, um rejuvenescimento dos nossos empresários e a criação de empresas com uma nova capacidade e com uma nova abordagem das problemáticas”, afirmou Sérgio Ávila.

Para o Vice-Presidente, estes dados também evidenciam “a eficácia e a oportunidade dos apoios que o Governo tem, atempadamente, disponibilizado às empresas açorianas, no âmbito do apoio ao investimento e no âmbito da criação de emprego”.

“A conjugação destas políticas tem levado a que, nos últimos 12 meses, os Açores sejam a região do país com maior capacidade de criação de empresas, o que é um indicador extremamente positivo para o futuro da região”, frisou.

A capacidade de renovação empresarial dos Açores evidenciada pelos dados agora divulgados também permite, segundo Sérgio Ávila, “criar um clima de confiança para o desenvolvimento da atividade económica regional com novos empresários”, os quais, na sua opinião, serão “empresários mais qualificados e mais habilitados”.

O Vice-Presidente do Governo sublinhou ainda que para este clima de confiança “contribuiu, sem dúvida, o facto de nos Açores haver um apoio ao investimento privado e às políticas das empresas de criação de emprego que é muito superior àquele que se verifica no resto do país, dando aos que querem investir nos Açores uma competitividade relativa e um apoio adicionais”.

Os dados agora publicados “são extremamente positivos, devem ser valorizados e terão, com certeza, um efeito multiplicador futuro muito importante no dinamismo da atividade económica e na criação futura de emprego”, afirmou Sérgio Ávila.

RL/GaCS

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top