Definidos zonamentos que integrarão Candidatura das Fajãs de S.Jorge a Reservas da Biosfera (c/áudio)

Esta terça-feira esteve em São Jorge o Diretor Regional do Ambiente, Hernâni Jorge, que presidiu à reunião da Comissão de Acompanhamento da Proposta de Candidatura das Fajãs de São Jorge a Reservas da Biosfera, onde ficaram definidos os zonamentos, ou seja, as áreas que caso a candidatura seja aceite passarão a ostentar o galardão de Reserva da Biosfera.

As Fajãs da costa Norte, nomeadamente a Caldeira de Santo Cristo e a Fajã dos Cubres, a Ponta dos Rosais e a zona do Ilhéu do Topo, os Morros nas Velas, bem como outros núcleos mais pequenos da costa Sul, que englobam a Fajã das Almas, Fajã de São João e Saramagueira, são alguns dos dez locais a classificar como Reserva da Biosfera.

Para além disto e de acordo com Hernâni Jorge, nesta reunião ficaram também definidos aspetos de calendarização relacionados com a candidatura, que passam pela realização de ações a desenvolver junto da população de ambos os concelhos.

“Foram estabelecido também iniciativas de promoção externa e de recolha de apoios à candidatura e também a calendarização para os finas de maio, princípios de junho de ações com a população de São Jorge”, uma no concelho das Velas e outra no concelho da Calheta, frisou o Diretor Regional.

Estas ações vão servir para “apresentar a proposta e recolha de opinião e participação pública na sua elaboração”.

O Diretor Regional do Ambiente salientou que a candidatura “está num bom caminho”, ressalvando o facto de na próxima semana ir ser apresentada em Malta num encontro de Reservas da Biosfera de Ilhas e Zonas Costeiras.

“O facto de termos sido convidados a fazer esta apresentação neste encontro dá bem nota do caminho que temos vindo a seguir e do grau de acolhimento que para já os parceiros das Reservas da Biosfera a nível Internacional dão a este projeto de candidatura”, afirmou Hernâni Jorge.

Uma promoção a nível internacional que é boa para a ilha de São Jorge e para toda a região, de acordo com o Diretor Regional, que evidenciou ainda o “património natural, social e cultural” das Fajãs São Jorge.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta