Politica

Duarte Freitas defende “alteração profunda” na política das Pescas

O líder do PSD/Açores desafiou o Governo regional a assumir “uma alteração profunda” na política das pescas, de modo a que corrigir os “erros” e os “falhanços” de uma política que levou, entre 2010 e 2016, a quebras de mais de 35% no rendimento dos pescadores.

Duarte Freitas falava após uma reunião, na sede do PSD/Açores, com a Cooperativa Porto de Abrigo e o Sindicato Livre dos Pescadores, promotores de uma petição pública que exige soluções para os baixos salários dos pescadores, entregue esta semana na Assembleia Legislativa dos Açores.

“Entendemos que é preciso haver uma alteração profunda na política das pescas. Temos apresentado propostas, que foram inclusive aprovadas por unanimidade no Parlamento açoriano, o próprio presidente do Governo reconhecia há um ano que o setor precisava de um resgate, mas a verdade é que nada foi feito”, explicou Duarte Freitas.

O líder social-democrata açoriano, que falava à saída do encontro com representantes dos pescadores, lembrou que no início do ano passado foi apresentado um projeto de resolução do PSD/Açores e da oposição, que o PS aprovou, “no qual estava refletida a preocupação e a necessidade de se atuar em relação às pescas”, mas que nada foi feito.

“O Governo tem demonstrado uma enorme incapacidade em relação aos problemas das pescas e dos pescadores. De nada serve aprovar resoluções a dizer que é preciso mudar ou ter um Governo a dizer que é preciso um resgate, quando nada se faz para mudar, tudo continua na mesma e a situação dos pescadores piora de dia para dia”, insistiu.

Duarte Freitas defende “uma abordagem diferente também em relação aos fundos comunitários”, lembrando que os grupos de ação costeira, por exemplo, ainda não estão a funcionar “quando já estamos a mais de metade deste quadro comunitário de apoio”.

Para o líder dos sociais-democratas açorianos é “inaceitável” continuar a desperdiçar os apoios que existem para o setor e não assumir propostas como a revisão do preço de primeira venda em lota, a pesca-turismo, o mapeamento que que deve anteceder uma aposta clara e séria na aquacultura offshore ou a formação dos pescadores.

“Tem de se reconhecer que houve erros, que houve falhanços, que é preciso corrigir, que se podem corrigir e ser consequentes na definição das políticas”, desafiou Duarte Freitas.

Do lado do PSD/Açores, Duarte Freitas deixou mais uma vez a garantia de que o maior partido da oposição está, como sempre esteve, “ao lado da sociedade civil, neste caso ao lado do setor das pescas para com eles tentar encontrar soluções”, seja através de propostas no parlamento açoriano seja procurando alertar o Governo regional.

“Precisamos encontrar soluções para que possamos ajudar aqueles pescadores e familiares que atravessam dificuldades, muitas delas decorrentes do facto de auferirem mensalmente rendimentos que não ultrapassam os 100 euros. Não se pode viver assim”, rematou o líder do PSD/Açores.

GI PSD Açores/RL Açores

Comment here