Duarte Freitas defende novos produtos para valorizar o leite dos Açores

O candidato do PSD/Açores a presidente do governo e cabeça de lista por São Miguel disse, esta manhã, que é preciso fazer “um trabalho muito grande ao nível da transformação e da comercialização do leite açoriano”, visando a criação de “produtos diferenciados, que possam potenciar a sua qualidade e aumentar os rendimentos dos produtores”, afirmou.

Duarte Freitas falava durante uma visita ao posto de leite das Arribanas, na ilha de São Miguel, onde considerou que a indústria deve apostar mais “na transformação e na comercialização de produtos diferenciados, valorizando o nosso leite. Só assim é que os produtores, que foram quem mais evoluiu, vão obter os benefícios do seu trabalho”, disse.

O candidato lembrou que, “por isso criamos um projeto de investigação e desenvolvimento, com a duração de três a cinco anos, que vai incentivar a indústria a estudar novos produtos, a testá-los e a colocá-los no mercado, com o marketing necessário”, adiantou.

Para o líder social democrata, o objetivo dessa iniciativa “é angariar conhecimento científico regional, com a participação da Universidade dos Açores, nacional e internacional, que nos permita, de facto, penetrar em novos mercados com esses novos produtos”.

Duarte Freitas criticou “a falta de uma verdadeira política regional para a Agricultura, que tem impedido os produtores de se valorizarem”, ainda mais porque, “nos últimos dois anos houve uma descida de cerca de dez cêntimos no preço por litro de leite. São mais de 50 milhões de euros por ano que deixam de entrar nos Açores e nas suas explorações de leite”, uma situação que, “face às margens diminutas, tem constrangido ainda mais a solvabilidade de muitas explorações agrícolas”.

O presidente do PSD/Açores referiu que “só os apoios à exportação não são suficientes, se não conseguirmos criar esses novos produtos”, uma vez que “produzir leite em pó, leite UHT ou produzir queijo flamengo é o que toda a gente faz, em qualquer lado”, explicou.

“Já há dez anos que sabíamos que ia haver um problema de concorrência, mas infelizmente não se trabalhou da melhor forma, pelo que temos agora a indústria com dificuldades de escoamento, os produtores a perder dinheiro todos os dias, pelo que só avançando com quem sabe do assunto se poderá inverter esta situação”, concluiu Duarte Freitas.

GI PSD Açores/RL Açores

Deixe uma resposta