Home / Açores / Entidades públicas e privadas devem “pôr mãos à obra” para garantir sustentabilidade do turismo, defende Vasco Cordeiro
Entidades públicas e privadas devem “pôr mãos à obra” para garantir sustentabilidade do turismo, defende Vasco Cordeiro

Entidades públicas e privadas devem “pôr mãos à obra” para garantir sustentabilidade do turismo, defende Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo destacou esta terça-feira a dinâmica que se vive no turismo dos Açores, defendendo que as entidades públicas e privadas devem “pôr mãos à obra” para a concretização das metas previstas no Plano Estratégico e de Marketing para este setor até 2020.

“Do ponto de vista das entidades públicas, o Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores (PEMTA), com o horizonte temporal 2020 e que aponta as metas e a forma para as alcançar, convoca todos para o trabalho de pormos mãos à obra no sentido de o levarmos à sua efetivação”, afirmou.

O Presidente do Governo falava na inauguração do ‘Pestana Bahia Praia – Nature and Beach Resort’, localizado no concelho de Vila Franca do Campo, um investimento do Grupo Pestana que requalificou um dos hotéis de referência da ilha de São Miguel.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou que o PEMTA, que entrou recentemente em vigor, apresenta objetivos concretos em várias áreas, como a redução da sazonalidade, o crescimento do número de dormidas e do gasto médio do visitante, mas respeitando os valores da qualidade e da sustentabilidade ambiental e social.

Este Plano tem como objetivo central a definição de um conjunto de estratégias tendo em vista alcançar três grandes resultados, nomeadamente a qualificação e desenvolvimento sustentável do turismo, a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento do turismo como ferramenta de dinamização da economia regional em todas as ilhas.

De acordo com Vasco Cordeiro, este setor tem ainda desafios de qualidade e de sustentabilidade, caso da capacidade de reforçar, de forma cada vez mais evidente, esta dinâmica em todas as ilhas, para que seja possível criar, cada vez mais, emprego e riqueza na Região.

O Presidente do Governo salientou que a dinâmica que se regista no turismo dos Açores resulta, assim, de um trabalho envolvendo as entidades públicas e privadas e que tem permitido, por exemplo, reduzir a sazonalidade e aumentar o número de empresas de animação turística no arquipélago.

“O momento que vive o turismo dos Açores é de grande dinamismo. Se tomarmos como referência o ano de 2015, tivemos um crescimento do número de dormidas de cerca de 20 por cento, quase o dobro do crescimento a nível nacional, e um aumento superior a 20 por cento, quer nos proveitos totais, quer nos proveitos por aposento”, afirmou Vasco Cordeiro.

Esta dinâmica, segundo o Presidente do Governo, verifica-se mesmo em áreas que ainda representam um desafio para o setor, caso da sazonalidade, que tem dado passos muito significativos e concretos que demonstram os resultados desse trabalho.

“Se tomarmos como referência o Inverno IATA 2015-2016, em comparação com o Inverno IATA 2012-2013, o número de dormidas na nossa Região cresceu mais de 95 por cento”, adiantou Vasco Cordeiro, ao salientar que este dado é bem elucidativo do trabalho que resulta desta parceria entre instituições privadas e públicas.

Além disso, no mesmo período, o número de empresas de animação turística cresceu cerca de 40 por cento na Região, indicadores que “são interessantes, mas que nos devem levar a que olhemos para a frente” nesta área, preconizou o Presidente do Governo.

GaCS/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top