DestaqueLocal

EPISJ promove Iniciativa “Escola Aberta – um momento de partilha de experiências” (c/áudio)

A Escola Profissional da Ilha de São Jorge (EPISJ) promoveu, esta quarta-feira, a iniciativa “Escola Aberta”. “Um momento de partilha de experiências”, de acordo com a Instituição que, neste dia, abriu portas à comunidade, “mostrando o trabalho desenvolvido ao longo do ano letivo” e convidou ainda antigos alunos a darem o seu testemunho no que toca ao seu percurso profissional após a conclusão dos estudos na EPISJ.

A sessão de abertura contou com as intervenções de diferentes agentes, nomeadamente do Presidente do Conselho Executivo da Associação para o Desenvolvimento da Ilha de São Jorge (ADISJ), Roger Sousa, da Diretora Pedagógica da Escola Profissional do Pico, Maria das Dores Silva, do Presidente da Câmara Municipal das Velas, Luís Silveira e, ainda, com a intervenção de Dinis Matos, Técnico de Inserção e Orientação Profissional.

“Hoje apesar das dificuldades que sentimos, temos a certeza que a Escola Profissional de São Jorge com uma gestão equilibrada e consciente continuará a formar os nossos jovens e adultos e continuará a ser um motor de dinamização e desenvolvimento da nossa ilha e da nossa região”, palavras de Roger Sousa no seu discurso de abertura desta iniciativa.

O Presidente do Conselho Executivo da ADISJ frisou que este foi um ano “bastante complicado e que os problemas são mais do que muitos e não estão resolvidos os problemas de base, mas neste momento temos (a escola) uma gestão corrente equilibrada”, sendo que atualmente todas os pagamentos de bolsas de estudo a alunos, docentes e funcionários estão em dia.

Outra dificuldade apontada por Roger Sousa prende-se com a constante diminuição do número de cursos aprovados na EPISJ, “cada vez há menos jovens, as escolas do ensino público já oferecem cursos de índole profissional, o que nós achamos mal, mas a solução é trabalhar com o que temos, com os alunos e com os cursos que nos vão sendo aprovados”.

Luís Silveira, presidente da Câmara Municipal das Velas, ressalvou na sua apresentação que de forma a “fazer face aos novos desafios a Escola Profissional de São Jorge, ao longo dos últimos meses, sofreu algumas mudanças duras, mas necessárias”, sendo que essas mesmas mudanças “mais do que fazer face a problemas financeiros existentes tiveram como principal objetivo os interesses dos alunos”.

De acordo com o autarca Velense, “os alunos são o cerne da existência da escola, a escola só existe por eles e para eles”, salientando que ninguém pode descurar a imagem e o papel da EPISJ não só para a ilha mas para toda a região.

Já Dinis Matos, Técnico de Inserção e Orientação Profissional, considerou que o estigma dos alunos que frequentam a Escola Profissional já diminuiu um pouco, no entanto, lamentou a opinião que muitas pessoas ainda têm sobre o ensino profissional, nomeadamente em São Jorge.

“É preciso que a população de São Jorge comece a olhar para a EPISJ com outros olhos”, ressalvou o psicólogo, explicando que está a ser criado um projeto com o testemunho de antigos alunos, nomeadamente ex-alunos de Cabo Verde, Timor Leste, Continente e de outras ilhas da região.

Esse projeto que consiste em várias apresentações pretende dar a conhecer o percurso desses alunos e “a ideia desta iniciativa é ver se nós damos mais um passo para que as pessoas percebam, apesar de já não serem todas, que esse conceito, esse estigma já não é tão grande”.

Isto tudo porque há alguns anos atrás os alunos que frequentavam a EPISJ eram completamente “estigmatizados” no sentido de que ao entrarem para a escola iriam seguir “caminhos menos bons” e iriam “deixar-se influenciar” por outros que optassem por um estilo de vida menos bom, como explicou Dinis Matos.

Maria das Dores Silva, Diretora Pedagógica da Escola profissional do Pico, apresentou o ensino profissional como uma alternativa, desmistificando também aquele estigma de que “para as Escolas Profissionais só vão os alunos menos bons”, frisando que não é, de todo, assim, uma vez que, muitos dos alunos que optam pelo ensino profissional “são bons alunos e outros tornam-se bons alunos” e conseguem mesmo bons resultados e muitas vezes prosseguir com os estudos.

Nesta sessão marcaram ainda presença Mário Soares, Paula Borges e Patrícia Alves, antigos alunos da EPISJ, de diferentes faixas etárias e de diferentes ramos profissionais.

O conselho deixado pelos três foi praticamente o mesmo dirigido aos atuais alunos da escola que estavam presentes, “se têm um sonho e um objetivo não desistam dele, uma vez que com vontade tudo se consegue e tudo se alcança”.
Ainda nesta sessão foram entregues Diplomas de Assiduidade e Mérito Escolar pelo Diretor Pedagógico da Escola, Joel Lima da Cunha.

Durante a manhã houve ainda uma visita guiada às instalações da EPISJ conduzidas pelos alunos do Curso Técnico de Turismo, sendo que em simultâneo foram sendo apresentados alguns projetos e trabalhos desenvolvidos pelos alunos da Escola.

LA/RL Açores

Comment here