Home / Destaque / Fajã dos Vimes – Fajã de São João pelo trilho PR3 – 10 km de aventura e paisagens deslumbrantes (Reportagem c/áudio)
Fajã dos Vimes – Fajã de São João pelo trilho PR3 – 10 km de aventura e paisagens deslumbrantes (Reportagem c/áudio)

Fajã dos Vimes – Fajã de São João pelo trilho PR3 – 10 km de aventura e paisagens deslumbrantes (Reportagem c/áudio)

Cinco quilómetros a subir e outros cinco a descer, uma dificuldade média a difícil e uma duração mínima de três horas e meia – é esta a descrição do trilho que liga duas fajãs da costa sul da ilha de São Jorge, nomeadamente a Fajã dos Vimes e a Fajã de São João, podendo ser feito também no sentido contrário.

Começámos pela Fajã dos Vimes e é através do característico som do mar a bater nas rochas e do inconfundível cheiro a café que sabemos que estamos no ponto de partida.

Mas antes de iniciarmos a caminhada visitamos as famosas plantações de Café e a Casa de Artesanato Nunes onde se fazem as tradicionais Colchas de Ponto Alto… Temos ainda tempo para degustar um delicioso café.

Após uma visita ao que de mais tradicional há nesta fajã podemos iniciar o percurso. São 10 os quilómetros separam as duas fajãs.

Um percurso diferente, com alguma dificuldade, mas que vale a pena, de acordo com Dina Nunes da empresa Discover Experience.

Este trilho “começa a uma quota do nível do mar, vai a uma quota mais ou menos até 600, 700 metros”, ou seja, são “cerca de cinco quilómetros a subir mais ou menos”, terminando “com os restantes cinco quilómetros sempre a descer”.

“É um percurso com uma dificuldade entre média e difícil, tem vistas lindíssimas, em termos de paisagem é lindíssimo, em termos de plantas endémicas é fantástico também”, elogia Dina Nunes.

A Urze, a Uva da Serra, o Incenso e a Faia são as plantas endémicas predominantes ao longo do trilho.

Um trilho que passa também pela Fajã dos Bodes e pelos Lourais e que acaba por envolver um pouco de aventura em dias de chuva.

“Este percurso tem uma série de ribeiras”, realça Dina. Uma delas está localizada ainda a baixa altitude na Fajã dos Bodes e outra é já mais a cima, a Ribeira do Cedro, sendo que “em dias mais chuvosos” a exigência é poderá ser maior.

Segundo Dina Nunes este “é um trilho que se faz tranquilo, com calma”, reforçando a ideia de que “é um trilho fantástico”.

Após cinco quilómetros de subida iniciamos a descida… Para trás ficam paisagens deslumbrantes, ribeiras de grande altitude, plantas endémicas que embelezam ainda mais o próprio trilho e eis que nos aproximamos do ponto de chegada.

Avistamos a Fajã de São João e percorridos os últimos cinco quilómetros de descida lá chegamos.

Caracterizada pelas suas ruas estreitas em calçada e pelas suas casas de pedra, esta é mais uma fajã com características únicas.

“É a própria fajã em si. Todas as fajãs têm algo especial, todas as fajãs são especiais e a Fajã de São João é outra fajã especial, não só em termos de vista, como também pelo seu mar”, formando-se por vezes um pequeno areal, como conta Dina. “Tem uma vista e uma história lindíssima”, é assim que a guia caracteriza a Fajã de São João.

A Discover Experience é uma empresa de turismo de natureza sendo que uma das especialidades dos seus guias, como é o caso de Dina Nunes, são os trilhos pedestres oficiais e não-oficiais.

PR3 é a designação dada ao trilho certificado entre a Fajã dos Vimes e a Fajã de São João, um trilho que, segundo Dina Nunes, é mais procurado por turistas.

Liliana Andrade/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top