Fausto Brito e Abreu considera excessivos cortes propostos para capturas de goraz e imperador nos Açores

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia considerou “excessivo” o corte proposto para a pesca de goraz ao largo dos Açores, apesar de concordar com o princípio da precaução e com os objetivos de conservação da espécie defendidos pela Comissão Europeia.

“O Governo dos Açores discorda da redução de quota de goraz proposta e consultará os cientistas do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores com vista a preparar uma contraproposta, em articulação com a Federação das Pescas dos Açores” afirmou Fausto Brito e Abreu, numa reação à proposta apresentada pela Comissão Europeia, que aponta para uma redução de 34% da pesca de goraz ao largo dos Açores em 2015 e um corte idêntico em 2016.

O Secretário Regional salientou que “o goraz tem tido uma redução dos seus efetivos reprodutores e é uma espécie que carece de atenção”, mas frisou que esta espécie “já tem sido objeto de medidas de proteção pelo Governo Regional”, acrescentando que o Executivo aceita reduções das quotas nos próximos anos, mas com valores menos “drásticos” do que os propostos pela Comissão Europeia.

Os dados científicos disponíveis resultam de campanhas oceanográficas que o Governo promove anualmente para avaliação dos ‘stocks’ pesqueiros e dos valores registados de capturas desta espécie.

Nesse sentido, o Governo dos Açores já tomou algumas medidas para aumentar os efetivos reprodutores de goraz, nomeadamente o alargamento da zona de proibição do palangre de fundo junto à costa até às seis milhas e a proibição de captura do carapau para isco.

Fausto Brito e Abreu defendeu que o goraz é uma espécie importante para a pesca nos Açores e, por isso, as associações de pescadores vão ser ouvidas, destacando também a importância de recorrer à comunidade científica para “habilitar o Governo Regional a tomar uma decisão informada, que garanta a sustentabilidade das capturas de goraz nos Açores”.

Para além da proposta de redução da quota de captura de goraz, a Comissão Europeia propõe também uma diminuição de 14% na quota nacional de captura de peixe-espada preto e uma redução de 5% na quota nacional de captura de imperador.

O Secretário Regional considerou que se podem “aceitar os cortes propostos para a captura de peixe-espada preto, que se aplicam à quota nacional total, não sendo a redução proposta preocupante para a Região”, mas, relativamente à redução da quota de captura de imperador, manifestou discordância com o valor indicado pela Comissão Europeia.

“O Governo Regional vai pedir esclarecimentos sobre a redução de quota proposta, tendo em conta que os dados de captura disponíveis indicam que o ‘stock’ está em boas condições”, afirmou Fausto Brito e Abreu.

GaCS

Deixe uma resposta