Governo dos Açores alarga a abrangência do programa Família Estável

O Vice-Presidente do Governo afirmou, em Ponta Delgada, que todos os desempregados de agregados familiares que tenham descendentes com direito a abono de família têm, desde 6 de janeiro, prioridade na colocação nos programas de emprego em vigor nos Açores.

Trata-se de uma alteração que o Governo Regional, através de resolução publicada no Jornal Oficial, decidiu introduzir no programa Família Estável, de modo a alargar a sua abrangência e a priorizar o encaminhamento para medidas de emprego a desempregados que tenham crianças e jovens a cargo quando o rendimento do agregado familiar seja reduzido.

Sérgio Ávila, que falava segunda-feira numa audição na Comissão dos Assuntos Parlamentares da Assembleia Legislativa sobre uma proposta do PSD para incluir as famílias monoparentais no âmbito do Família Estável, sublinhou que o Governo vai “muito mais além”.

“Passaremos a dar prioridade na colocação nos nossos programas de emprego não só quando existam dois membros do agregado familiar que estejam desempregados, não só quando haja famílias monoparentais em que essas pessoas estejam desempregadas, como passamos a incluir todos aqueles desempregados que, independentemente do agregado familiar, tenham um nível de rendimento que faça com que os seus descendentes sejam enquadrados no abono de família”, frisou o governante.

Para Sérgio Ávila, a distinção, em termos de prioridade de colocação, será feita em função do nível de rendimento.

“O nível de rendimento é avaliado de uma forma simples e desburocratizada e com um critério que é definido pela Segurança Social, que é o direito ao abono de família”, enfatizou o Vice-Presidente.

GaCS

Deixe uma resposta