Governo dos Açores atribui prémio para valorizar trabalho das escolas na promoção do sucesso escolar 

O Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou esta sexta-feira, em Rabo de Peixe, na ilha de S. Miguel, que a criação do Prémio Ousar, Intervir, Melhorar por parte da Direção Regional de Educação teve por objetivo “a valorização do trabalho das escolas na promoção do sucesso escolar”.

Avelino Meneses salientou ainda que a instituição deste prémio, que teve este ano a sua primeira edição, visou também “a criação de uma cultura de divulgação” dos projetos pedagógicos “mais inovadores, na perspetiva do Sistema Educativo Regional, e das próprias comunidades”, com vista “a estimular a implementação de mais e mais projetos pedagógicos verdadeiramente inovadores”.

O Secretário Regional falava na cerimónia de entrega do Prémio, na Escola Básica e Integrada de Rabo de Peixe, estabelecimento de ensino que conquistou o primeiro e o segundo lugar nesta edição, tendo sido ainda atribuída uma Menção Honrosa a um projeto da Escola Básica e Integrada de Água de Pau.

Para Avelino Meneses, esta iniciativa da Direção Regional da Educação “cruza-se, naturalmente, com a batalha que vimos travando pela promoção do sucesso escolar”.

Nesse sentido, salientou que, entre os objetivos deste prémio, “contam-se os propósitos do acréscimo da taxa de progressão e do decréscimo da taxa de desistência, da elevação das médias das provas finais e dos exames nacionais, do estímulo à assiduidade e da contenção da indisciplina”.

“O combate ao abandono escolar e a promoção do sucesso escolar principiam em ações desta natureza, em ações nas quais premiamos as nossas escolas, quer os estudantes, quando eles são exemplo para todas as turmas, quer os professores, quando são os nossos melhores parceiros na batalha pelo acréscimo do sucesso dos estudantes, quer os dirigentes, quando se acham efetivamente empenhados na valorização das unidades orgânicas”, afirmou Avelino Meneses.

Nesta primeira edição, que distinguiu projetos realizados nas escolas dos Açores no ano letivo 2013/2014, os dois primeiros lugares, no valor global de oito mil euros, foram atribuídos a projetos da EBI de Rabo de Peixe, denominados ‘Porque a Escola Somos Nós’ e ‘Assembleia de Conciliação’, enquanto o projeto ‘Reviver’, da EBI de Água de Pau, também da ilha de S. Miguel, foi distinguido com uma Menção Honrosa.

Candidataram-se a este prémio sete projetos de seis unidades orgânicas, designadamente ‘Reviver’, da EBI de Água de Pau, ‘Porque a Escola Somos Nós’ e ‘Assembleia de Conciliação’, da EBI de Rabo de Peixe, ‘À descoberta da Ciência’, da EBS de Velas, ‘@o teu l@do’, da EBS de Santa Maria, ‘Recuperar’, da EBS do Nordeste, e ‘Plano de Intervenção Pedagógica’, da Escola Secundária da Ribeira Grande.

O projeto ‘Porque a Escola Somos Nós’ envolveu 260 alunos de 13 turmas, do 4.º ao 9.º ano de escolaridade, e foi desenhado para ser implementado, numa fase experimental, no ano letivo 2013/2014 e desenvolvido nas novas instalações da primeira fase de requalificação da EBI de Rabo de Peixe.

Estas instalações foram inauguradas em setembro de 2013, constituindo-se assim uma oportunidade no que diz respeito ao processo de ensino-aprendizagem.

Por seu turno, o projeto ‘Assembleia de Conciliação’ envolveu 102 alunos, de seis turmas do Programa Oportunidade – nível II e do Programa Oportunidade – nível III.

O projeto foi implementado devido à premente necessidade de se dotar o espaço escola da segurança, da ética e da conduta necessárias e tidas como fundamentais ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem no seio de uma comunidade educativa que se pretende cívica, una e norteada pelo bem comum.

O projeto ‘Reviver’ foi implementado, numa parceria da escola com a Casa do Povo de Água Pau, numa turma de 7.º ano e envolveu 13 alunos com um percurso escolar irregular, em risco de abandono escolar, com problemas de integração na comunidade escolar, ameaça de risco de marginalização e exclusão social.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta