Home / Açores / Governo dos Açores classifica lancha “Espalamaca” como bem móvel de interesse público
Governo dos Açores classifica lancha “Espalamaca” como bem móvel de interesse público

Governo dos Açores classifica lancha “Espalamaca” como bem móvel de interesse público

O Governo dos Açores classificou como bem móvel de interesse público a lancha de transporte de passageiros “Espalamaca”, propriedade da Região.

A resolução, aprovada no Conselho do Governo realizado a 24 de maio, em Angra do Heroísmo, foi hoje publicada em Jornal Oficial e entra sábado em vigor.

A classificação da “Espalamaca” teve em conta os critérios previstos em legislação própria relativos “à memória coletiva açoriana”, nomeadamente da população residente no ‘Triângulo’, e o interesse da lancha como “testemunho simbólico de vivências ou factos históricos”.

A lancha “Espalamaca” é fruto da combinação de outras duas lanchas de passageiros – a “Odete” e a “Maria Otília” – que pertenciam à Empresa Açoriana de Navegação e Pescas (EANP) e operavam no ‘Triângulo’ desde o início da década de 20 do século XX.

A fusão das duas embarcações foi realizada em 1944, pelo mestre Manuel Dias Vieira, de São Roque do Pico, tendo permanecido o nome “Maria Otília” e sua matrícula histórica (H-177-TL).

Em 1949, a lancha adquiriu o nome “Espalamaca” e, um ano mais tarde, já na posse da Empresa de Lanchas do Pico (ELP), é sujeita a profundas alterações, da autoria do mestre Manuel José da Silveira “Janeiro”.

A intervenção mais marcante foi levada a cabo pelo mestre Júlio Nunes de Matos, em 1966, e dela resultou uma mudança estética e de racionalização de espaços que perdurou praticamente até ao presente.

Com a nova configuração, a “Espalamaca” passou a ser o ‘navio almirante’ da frota da ELP e, nas palavras de um dos seus famosos mestres, a “Rainha do Canal”.

Navegou como elemento principal da frota da ELP até 1987, altura em que entraram ao serviço o “Cruzeiro das Ilhas” e o “Cruzeiro do Canal”, tendo passado a uma operação de um nível secundário/complementar relativamente a estes navios.

Em 2002, cessou a sua operação de transporte regular de passageiros e foi varada nos estaleiros da Madalena, ficando completamente abandonada e desprotegida até 2014.

Nessa altura, foi contratualizada pelo Governo dos Açores a sua recuperação para fins museológicos, encontrando-se atualmente nos estaleiros de Santo Amaro, na ilha do Pico.

A lancha de transporte de passageiros “Espalamaca”, registada na Capitania do Porto da Horta, sob o número H-177-TL, tem 17,46 metros de comprimento de fora a fora, 4,17 metros de boca, uma arqueação bruta de 33,03 toneladas e propulsão com motor fixo interior.

 

 

 

 

GaCS/RL Açores

Fotografia: ©Direitos Reservados

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top