Governo dos Açores comemora 10 anos da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico como Património Mundial

O Secretário Regional dos Recursos Naturais destacou, em São Roque do Pico, o “prestigiante reconhecimento internacional” da classificação ocorrida há 10 anos da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico como Património Mundial pela UNESCO, data que o Governo dos Açores assinala com um programa que foi hoje apresentado.

“Completando-se este ano 10 anos de tão prestigiante reconhecimento internacional, o Governo dos Açores, em parceria com as forças locais, desenvolverá, a partir de hoje e até 10 de novembro, um conjunto de atividades evocativas”, anunciou Luís Neto Viveiros, destacando o colóquio que vai decorrer de 4 a 6 de julho, coincidindo com a data da classificação.

Luís Neto Viveiros recordou que a Secretaria Regional dos Recursos Naturais, através da Direção Regional do Ambiente, promoveu no último ano a avaliação pública e consequente alteração do Plano de Ordenamento que regula esta área, frisando que o atual instrumento de gestão territorial reforça “os objetivos que presidiram à sua elaboração, por forma a que toda esta paisagem se transforme num dos principais polos de desenvolvimento económico e social da ilha e dos Açores”.

O Secretário Regional destacou a “evolução das execuções orçamentais dos últimos anos, no que respeita aos apoios à manutenção e reabilitação da vinha do Pico”, frisando que “a soma do executado em 2013 com o comprometido para este ano totaliza quase 1,9 milhões de euros”.

Relativamente às 52 candidaturas aprovadas no ano passado, salientou que “correspondem a uma área a reabilitar de 65,72 hectares, tendo-se ultrapassado, só num ano, os 50,77 hectares de todos os projetos (66) aprovados nos nove anos anteriores (2004 a 2012)”.

“Desde a criação dos incentivos, em 2004, foram aprovadas 118 candidaturas de reabilitação, correspondendo a uma área de reabilitação de cerca de 116,5 hectares de vinha, num apoio financeiro global superior a 2,3 milhões de euros”, afirmou Luís Neto Viveiros, acrescentando que “em simultâneo, está contratada com 214 beneficiários a manutenção de cerca de 156 hectares de vinha, a que corresponde um apoio financeiro global próximo dos 2,4 milhões de euros”.

Na intervenção que antecedeu a assinatura de 22 novos contratos de reabilitação referentes às candidaturas apresentadas nos últimos meses de 2013, o Secretário Regional salientou que correspondem a uma área de 42 hectares e cerca de 840 mil euros de apoios financeiros.

“Reabilitar e dar vida à vinha do Pico é, com certeza, honrar a memória e o engenho dos nossos antepassados, toda uma cultura única, o que somos e nos diferencia, mas também é saber retirar proveito dessa herança e da terra, tal como eles o souberam”, frisou Luís Neto Viveiros.

RL/Gacs

Deixe uma resposta