Cultura

Governo elogia projeto “Migrantas nos Açores” pela pertinência social e política

A Diretora Regional da Juventude, Pilar Damião, elogiou a Cooperativa Cultural – Mala e a presença do coletivo ‘Migrantas nos Açores’ por terem organizado um projeto que considerou ser de “extrema pertinência social e política na Europa do século XXI”.

Pilar Damião, que falava quinta-feira, em Ponta Delgada, na inauguração da exposição ‘Morada Intercontinental – Imagens das Migrações no Espaço Urbano Açoriano’, salientou que esta iniciativa pretende, através da arte e dos sentimentos, “promover o respeito pela diferença, pela singularidade de cada ser humano”, ou seja, “o respeito pela dignidade humana”.

“O apelo à valorização e respeito pela diversidade emerge paradoxalmente numa era onde o nacionalismo de exclusão, o medo pela mistura e os choques culturais tendem a ser cada vez mais visíveis”, acrescentou Pilar Damião.

A Diretora Regional da Juventude salientou que o Executivo tem sido “bastante sensível” à problemática das discriminações,  tendo desenvolvido desde 2013 uma série de projetos, nomeadamente a campanha ‘Antes de me discriminares, conhece-me!’, com o objetivo de “estimular os jovens à participação livre e ao exercício de uma cidadania ativa”, promovendo o combate às múltiplas discriminações.

Por seu lado, o Diretor Regional das Comunidades, destacou a importância do apoio a iniciativas que divulguem a diversidade cultural existente nos Açores,  recordando que residem no arquipélago imigrantes de 75 nacionalidades.

“O Governo dos Açores tem incentivado a criação e dinamização de projetos que, por um lado, promovam a interculturalidade e, por outro, a plena integração de quem escolheu residir e trabalhar no nosso arquipélago”, frisou Paulo Teves.

Para o Diretor Regional, importa salientar também o papel determinante dos imigrantes nos Açores e dos seus descendentes no “desenvolvimento e progresso” da Região.

“É possível adaptar a nossa ação, tendo em conta as expetativas e aspirações de quem, não tendo nascido nos Açores, elegeu estas ilhas atlânticas para viver”, acrescentou.

O projeto ‘Migrantas nos Açores’, organizado pela MALA – Cooperativa Cultural, tem o apoio do Governo Regional dos Açores, através das direções regionais da Juventude e das Comunidades, contando também com o patrocínio e a parceria de outras instituições e municípios das ilhas de São Miguel, Terceira e Faial.

A exposição ‘Morada Intercontinental – Imagens das Migrações no Espaço Urbano Açoriano” é o resultado de dois workshops que se realizaram em Ponta Delgada a 16 de outubro com o objetivo de reunir cidadãos imigrantes nos Açores para, a partir da discussão, desenharem situações vinculadas à sua condição de migrantes.

Deste trabalho resultou também a introdução de pictogramas no espaço público, numa ação que terá lugar nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial a partir de hoje, através de afixação de cartazes e mupis publicitários, criação de animações digitais, distribuição de postais e impressão de sacos de compras, tendo como objetivo integrar a subjetividade do migrante na paisagem urbana onde coexistem.

Este projeto que agora chega aos Açores já passou por Berlim, Colónia e Hamburgo (Alemanha) Buenos Aires (Argentina) Salzburgo e Viena (Áustria) Barcelona e Sevilha (Espanha) entre outras cidades.

GaCS

Comment here