Governo Regional e Associação Florestal dos Açores criam Fórum da Floresta

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente anunciou esta quarta-feira, em Ponta Delgada, que o Governo e a Aflorestaçores – Associação Florestal dos Açores, decidiram criar o Fórum da Floresta para promover uma análise regular do desempenho deste “setor estratégico” no âmbito da política de desenvolvimento sustentado da Região.

Luís Neto Viveiros, em declarações à margem de uma reunião de trabalho com a Direção da Aflorestaçores, salientou que este fórum reunirá regularmente representantes da Administração Pública e empresários, permitindo, à semelhança do Fórum do Leite, “debater em detalhe todas as questões”, desde a produção à comercialização e transformação de madeiras.

O titular da pasta da Agricultura revelou ainda que foram analisados na reunião de hoje os apoios previstos no PROMA – Programa de Apoio à Modernização Agrícola, que é destinado à aquisição de máquinas e equipamentos em situações que não justificam investimentos de grande valor, assim como os benefícios fiscais ao gasóleo previstos para a área florestal.

Luís Neto Viveiros garantiu que o Governo dos Açores, no âmbito de “um espírito de análise permanente com os protagonistas” de todas as áreas, vai avaliar nas próximas revisões destas portarias as listas de equipamentos elegíveis e dos montantes a disponibilizar.

Questionado pelos jornalistas, o Secretário Regional revelou que, até à data, foram criados 220 novos postos de trabalho no setor privado, salientando o empenho do Executivo Regional na dinamização da fileira da madeira através do aproveitamento de matas públicas, de acordo com “o compromisso que assumiu e que faz parte do seu programa”.

“Nós lançamos concursos a que os produtores e as empresas particulares concorrem com determinadas condições”, frisou, apontando, nomeadamente a replantação das áreas a corte para a venda de madeira e a realização de estudos de incidência ambiental.

“É um processo que não está concluído e o Governo tem uma meta para atingir ao longo dos anos”, afirmou Neto Viveiros, manifestando convicção na sua concretização.

No âmbito da medida de dinamização da fileira da madeira inscrita na Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial decorrem atualmente dois novos concursos em S. Miguel e na Terceira para o corte, venda e reflorestação de lotes públicos, num total de 161 hectares.

Este aproveitamento pelo setor privado de boa madeira de árvores em fim de vida, complementado com a replantação de matas públicas, contribui também para uma renovação ambientalmente sustentada das florestas da Região.

A floresta dos Açores tem 12.698 hectares de matas de criptoméria, dos quais cerca de 4.500 hectares estão sob gestão da Região, sendo 2.119 em São Miguel.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta