Hospital Digital estará implementado na Região até 2025

O Secretário Regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, revelou que o projeto Hospital Digital estará implementado na Região até 2025.

“O Hospital Digital pretende garantir, até 2025, um melhor acesso ao Serviço Regional de Saúde (SRS) por todos os utentes por via da digitalização, reforçando competências digitais dos profissionais de saúde e dotando o Serviço Regional de Saúde de infraestruturas tecnológicas, equipamentos e bens informáticos necessários à prossecução deste investimento”, revelou o governante no sábado durante um evento organizado pela Associação Seniores de São Miguel onde abordou a temática da atividade assistencial não-Covid-19 no Sistema Regional de Saúde.

Para implementar este projeto, Clélio Meneses explicou que será necessária a digitalização do setor da saúde, de modo a disponibilizar o registo eletrónico de saúde de cada cidadão, criando igual possibilidade de acesso aos cuidados de saúde independentemente da ilha de residência; e também a melhoria da performance digital do Serviço Regional de Saúde, através da inovação, substituição e interoperabilidade dos dados entre os sistemas do SRS, do Serviço Nacional de Saúde e das Unidades de Saúde de Ilha, assim como de unidades privadas.

Segundo o governante, a criação do Hospital Digital é apenas uma das várias medidas que terão de ser implementadas de forma responder aos problemas do SRS, que foram ampliados devido à pandemia de Covid-19.

Nesse sentido, Clélio Meneses defendeu que é necessário fixar profissionais de saúde no arquipélago, pelo que diz ser necessário “criar métodos em termos de estrutura de carreira” que incentivem os profissionais de saúde a trabalhar na Região, revelando não considerar que se devam manter as bolsas da Região para a formação dos médicos.
“Um dos planos que estamos a delinear tem a ver com a fixação de médicos, enfermeiros e técnicos superiores de diagnóstico nos Açores. Nós não podemos continuar a depender de médicos que venham avulso aos Açores sem manterem uma ligação com o doente, nem o resto do quadro clínico. Temos de fixar, fixar, fixar”, disse.

O reforço da intervenção ao nível da literacia na saúde foi também defendido pelo secretário da Saúde e Deporto, explicando que desta forma se estará também a apostar na prevenção da doença.

“É essencial que haja uma aposta clara, a médio e longo, na literacia da saúde, com o conhecimento de hábitos de vida saudáveis, seja ao nível da alimentação como do exercício físico “, defendeu, lembrando que a pandemia veio condicionar a mobilidade de muitos açorianos, em especial dos mais novos, pelo que estão a ser delineados programas pelo executivo para se promoverem hábitos de vida saudável e o exercício físico, em especial junto dos mais jovens.

Açoriano Oriental/RLAçores

Deixe uma resposta