Indústria tem papel fundamental na valorização da fileira do leite nos Açores, afirma João Ponte

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas salientou esta segunda-feira os investimentos que a indústria tem feito na modernização e no aumento da capacidade de produção e transformação de produtos, bem como o bom aproveitamento dos fundos comunitários, “o que demonstra a confiança no futuro do setor dos lacticínios nos Açores”.

João Ponte falava à margem de uma visita às instalações da Unileite-União das Cooperativas Agrícolas de Laticínios e de Produtores de Leite da Ilha de São Miguel, onde reuniu com a administração, num encontro em que destacou o papel desta indústria de lacticínios na valorização da fileira do leite nos Açores.

A Unileite produz atualmente 90 milhões de litros de leite UHT, 3.400 toneladas de queijo e 2.800 toneladas de manteiga.

Segundo João Ponte, “a Unileite é uma indústria muito importante e tem feito um grande investimento de modernização, no sentido de acompanhar aquilo que se pretende para a Região, que é uma indústria que seja capaz de transformar o leite em produtos que acrescentem valor”.

“Esta é uma preocupação que a Unileite tem e que Governo Regional partilha”, frisou, acrescentando que “é preciso apostar na valorização da fileira do leite, procurar novos mercados e que isso permita que o setor beneficie”.

Para o Secretário Regional, “há a necessidade de valorizar os produtos lácteos, associando a Marca Açores e através de políticas públicas que pretendem, nos próximos anos, consolidar o estatuto de Açores – Região de Excelência”.

“É importante que essa valorização se traduza no aumento do rendimento da transformação e, por via disso, seja possível aumentar o preço do leite e o rendimento dos produtores açorianos”, afirmou.

Os constrangimentos do setor têm afetado não só os Açores, mas todo o espaço europeu, tendo João Ponte frisado que “o problema que enfrentamos neste momento ao nível do setor leiteiro europeu não é um problema de produção, é um problema de escoamento e de comercialização”.

Nesse sentido, considerou ser “necessário criar mecanismos para fomentar a exportação e o consumo de produtos lácteos açorianos a nível nacional e europeu e apostar em novos mercados”.

A solução passa por se acrescentar valor à fileira do leite, salientando o Secretário Regional que o Centro Açoriano de Leite e Laticínios “tem um papel preponderante na definição das estratégias que visem campanhas de promoção e divulgação do consumo do leite e laticínios dos Açores, bem como estimular a indústria a incrementar processos de investigação, inovação e valorização dos seus produtos”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta