DestaquePolitica

JSD/Açores propõe residências universitárias para estudantes açorianos no continente

O presidente da JSD/Açores propôs esta quinta-feira a criação de residências universitárias para estudantes açorianos em cidades como Lisboa ou Porto, alegando que os preços do alojamento se tornaram “proibitivos”.

“Pagar 380 euros por um pequeno quarto em Lisboa é proibitivo. É preciso pôr termo a isto. Os poderes públicos da Região têm de agir, sob pena de vermos jovens açorianos impedidos de tirarem o curso superior que desejam”, afirmou Flávio Soares, na sessão de abertura da sexta edição da Universidade de Verão do PSD/Açores e da JSD/Açores, que decorre na cidade da Horta, ilha do Faial.

O líder dos jovens social-democratas açorianos salientou que “ter um filho a estudar numa cidade como Lisboa pode custar mais de 7.000 euros por ano às famílias açorianas”, somando a despesa do alojamento aos custos com alimentação, transportes e propinas.

“Estes números revelam que os estudantes açorianos se encontram particularmente desprotegidos, pois estão mais longe de casa que quaisquer outros alunos do ensino superior. Sem uma rede de apoio familiar e impossibilitados de ir a casa aos fins de semana, os jovens açorianos que estudam no ensino superior no continente têm despesas muito mais elevadas”, sublinhou.

Para Flávio Soares, “frequentar o ensino superior fora dos Açores atinge, neste momento, preços proibitivos, se falarmos das maiores cidades do continente”.

“É por isso que a JSD/Açores, cumprindo a sua obrigação de apresentar soluções para os problemas dos jovens da nossa Região, propõe a criação de residências universitárias para estudantes açorianos em cidades como Lisboa ou Porto”, disse.

Segundo o presidente da JSD/Açores, esta é “uma proposta inovadora, capaz de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos estudantes açorianos no continente e desafogar financeiramente as famílias destes alunos”.

O líder dos jovens social-democratas açorianos explicou que a criação destas residências universitárias “pode ser concretizada através da aquisição, pelo Governo Regional dos Açores, de imóveis nessas cidades do continente”.

“A gestão dessas estruturas de arrendamento poderá ficar a cargo de estruturas ligadas à comunidade açoriana no continente, como as Casas dos Açores. Aliás, a Casa dos Açores de Lisboa chegou a ter, em tempos, uma residência universitária”, referiu.

Flávio Soares acrescentou que, como contrapartida por este esforço financeiro a fazer pela Região, “os estudantes açorianos que usufruírem destas residências universitárias deverão, após a conclusão do curso, regressar aos Açores para prestarem serviço remunerado em entidades públicas”, à semelhança do que já sucede “com alguns estudantes que recebem bolsas da Região em carreiras específicas”.

“Esta proposta da JSD/Açores tem assim três efeito positivos: garante que nenhum jovem açoriano deixe seguir a sua carreira académica no continente por razões financeiras; alivia os encargos financeiros de milhares de famílias açorianas que têm filhos a estudar fora da Região; e possibilita que os nossos jovens que tiraram cursos superiores no continente regressem aos Açores”, frisou.

O presidente da JSD/Açores salientou ainda que, “ao contrário de outros, não fazemos propostas com nomes pomposos a pensar apenas nos títulos dos jornais do dia seguinte”, tendo lembrado um programa do Governo Regional chamado ‘Prepara o teu Regresso a Casa’, destinado aos jovens açorianos licenciados.

De acordo com Flávio Soares, “ninguém se lembra [desse programa] porque só serviu para fazer títulos de jornais e em nada beneficiou os jovens açorianos”.

“Certamente também não se recordam de quem andou a anunciar esse pomposo programa. Eu recordo-me bem. Foi a então Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Isabel Rodrigues. A mesma pessoa que, por estes dias, anda por aí em campanha a pedir o voto dos açorianos. É preciso muito descaramento”, disse, referindo-se à cabeça de lista do PS/Açores à Assembleia da República.

Para o líder dos jovens social-democratas, este é um dos vários exemplos reveladores da “grande diferença entre o PS e o PSD nos Açores”.

“O Partido Socialista toma medidas fáceis e avulsas e chama-lhes – imagine-se – ‘política de juventude’. A JSD/Açores e o PSD/Açores não têm medo de arriscar e apresentam propostas inovadoras, porque temos juventude em todas as nossas políticas”, afirmou.

A sessão de abertura da sexta edição da Universidade de Verão contou ainda com as intervenções do vice-presidente da JSD nacional, Diogo Cúmano, e da presidente da Assembleia Municipal da Horta, Teresa Ribeiro.

GI PSD Açores/RL Açores

Comment here