Home / Destaque / Levantada interdição da apanha de amêijoa na Lagoa de Santo Cristo (c/áudio)
Levantada interdição da apanha de amêijoa na Lagoa de Santo Cristo (c/áudio)

Levantada interdição da apanha de amêijoa na Lagoa de Santo Cristo (c/áudio)

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia visitou esta terça-feira a Fajã da Caldeira de Santo Cristo, em São Jorge, onde anunciou o fim da proibição da apanha de amêijoa na lagoa, que estava em vigor desde setembro de 2013.

Em causa estava uma toxina proveniente de uma microalga, que se acumula em organismos bivalves, como é o caso das amêijoas, e que pode apresentar riscos para a saúde.

“Já não há qualquer perigo para a saúde e podemos voltar a comer em segurança as amêijoas da Fajã”, afirmou Fausto Brito e Abreu, acrescentando que “as últimas análises revelaram que a concentração da toxina em causa é inferior ao limite estabelecido por lei”.

A partir de agora, a apanha de amêijoa e de algas marinhas, bem como o exercício da pesca, voltam a ser permitidas na Lagoa da Caldeira de Santo Cristo, tal como estabelece uma portaria publicada hoje em Jornal Oficial.

Em declarações À RL Açores, Fausto Brito e Abreu revelou que uma das medidas que pensa tomar passa por estudar a melhor forma de tornar mais sustentável a apanha de amêijoas naquela fajã.

“A gestão da população de amêijoas depende do repovoamento e do esforço de captura que é feito. Uma das medidas que eu penso tomar depois de auscultar a Associação de Apanhadores de Amêijoas é estudar a melhor forma de tornar mais sustentável a apanha da amêijoa, mais regulada e permitir um repovoamento e, portanto, uma captura mais perene no tempo”, afirmou o Secretário Regional.

Fausto Brito e Abreu pretende ainda que haja uma “melhor regulação das licenças, evitar a captura por pessoas não licenciadas e minimizar a fuga à lota”.

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia adiantou que, seguramente, e antes do final do ano aparecerão novas medidas que vão surgir de um diálogo com as pessoas que conhecem bem a realidade da Caldeira de Santo Cristo.

Fausto Brito e Abreu acrescentou ainda que como área protegida e também integrada na candidatura das Fajãs de São Jorge a Reserva da Biosfera, a Fajã de Santo Cristo merece uma atenção especial por parte do Governo Regional, tendo este uma responsabilidade acrescida.

Durante a visita à Fajã de Santo Cristo, o Secretário Regional esteve reunido com representantes da Associação de Apanhadores de Amêijoa (APAS) e da Associação Amigos da Caldeira, tendo também visitado o Centro de Interpretação da Fajã, instituição a quem entregou o certificado e a bandeira do programa Quality Coast.

GaCS/RL Açores

 

 

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top