Luís Neto Viveiros afirma ter confiança nas “capacidades e valor dos agricultores açorianos”

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente destacou, na sessão de abertura do Encontro do Mundo Rural, no Faial, o valor e a importância do contributo de todos os agricultores açorianos para a economia da Região.

“Acredito nas capacidades e no valor dos agricultores açorianos que se dedicam à produção de leite, à produção de carne ou de outros produtos agrícolas, e não duvido da importância do seu contributo e do que representam para a economia dos Açores, o mesmo que é dizer, para todos nós”, afirmou Luís Neto Viveiros.

Para o Secretário Regional, a agricultura e programas como o PRORURAL+ são essenciais para “a fixação das populações, em especial dos jovens, e para o desenvolvimento sustentado e harmonioso de todas as ilhas” dos Açores.

Na sua intervenção, Neto Viveiros desejou aos agricultores, comerciantes e expositores o “maior sucesso” neste Encontro do Mundo Rural, que considerou ser “uma oportunidade de convivência, aprendizagem, promoção do mundo rural nas suas diversas vertentes e, também, de negócio”, salientando o reforço efetuado pelo Governo dos Açores ao PROAMA.

“Trata-se de um programa regional que apoia a modernização das explorações e unidades de produção agrícolas, incrementando a sua mecanização, através de um processo simples e célere a que os agricultores se podem candidatar”, frisou.

Este programa funciona em complementaridade ao novo Programa de Desenvolvimento Rural, o PRORURAL+, que vai vigorar até 2020 com uma dotação de 340 milhões de euros, sendo 295 milhões fundos europeus e 45 milhões de verbas do orçamento regional.

Segundo Luís Neto Viveiros, o programa aprovado este ano pela Comissão Europeia “foi desenhado por forma a apoiar os nossos agricultores, a nossa agro-indústria e a nossa comercialização a enfrentar com sucesso os desafios atuais e futuros com que nos deparamos”.

“Visa incentivar a modernização e mecanização nos setores da produção animal e vegetal, reforçar a sua competitividade e contribuir para a melhoria das condições de trabalho dos nossos agricultores, assim como para o desenvolvimento do mundo rural”, afirmou.

O titular da pasta da Agricultura destacou ainda a adjudicação, este ano, da empreitada de construção do Matadouro da Ilha do Faial, no valor estimado de 5,5 milhões de euros.

O concurso para esta obra, com um prazo de execução de 18 meses, já foi aberto pelo Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas (IAMA), contemplando o projeto, além do processo de abate, a preparação de carcaças, uma sala de desmancha, uma estação de tratamento de águas residuais e uma unidade de preparação e acondicionamento de subprodutos e despojos.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta