Luís Neto Viveiros anuncia medida para apoiar a capacidade financeira das explorações agrícolas

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente revelou, na Praia da Vitória, que o Governo dos Açores está a preparar com instituições financeiras a criação de uma linha de crédito “destinada a reforçar a competitividade das explorações agrícolas açoriana, através da bonificação dos juros”.

Luís Neto Viveiros, que falava domingo à noite no encerramento das VIII Jornadas Agrícolas da Praia da Vitória, frisou que se trata de “mais um instrumento que visa fomentar uma política sustentável de investimentos no setor agrícola, reforçando a capacidade financeira das explorações para fazer face aos investimentos programados e fortalecer seu fundo de maneio”.

“Não desistimos, nem desanimamos com as dificuldades ou obstáculos que possam surgir”, assegurou o governante, referindo-se aos novos desafios colocados pelo fim do regime das quotas leiteiras, pela atual conjuntura derivada do embargo russo aos produtos lácteos europeus e pela retração do consumo previsto em mercados emergentes.

“Assim como, sabemos, não o fazem os nossos agricultores”, acrescentou Luís Neto Viveiros, realçando a capacidade empreendedora dos produtores açorianos que, a isso “chamados” na última década, investiram na modernização, na qualidade e na profissionalização.

“Quando questionado, afirmo, com convicção, que os Açores estão preparados para enfrentar o desafio do fim das quotas leiteiras, desde que toda a fileira cerre esforços em torno desse objetivo comum em que o Governo dos Açores se constitui como parte”, reafirmou o Secretário Regional.

Luís Neto Viveiros reiterou que “nenhum dos pilares da fileira [produção, transformação e comercialização] pode ter a veleidade de sobreviver sozinho” e realçou o bom desempenho da Lactaçores e os investimentos executados pela agro-indústria na caminhada de preparação para a liberalização, alertando para as oportunidades a explorar no mercado nacional.

“O espaço nacional, deficitário em produtos lácteos, continua a ser o principal mercado de destino dos produtos dos Açores”, frisou, acrescentando que “pode e deve ser conquistado pelos empresários da Região”.

O Secretário Regional garantiu ainda que, “apesar da justificada convicção na nossa capacidade e de todo este trabalho que temos, todos, desenvolvido”, face a um “mercado mais desregulado”, o Executivo vai manter a pressão “junto das diferentes instâncias comunitárias” para que os Açores, enquanto Região Ultraperiférica, tenham acesso a mecanismos de compensação.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta