Município de Velas com passivo consolidado de 8 milhões

Na última sessão ordinária da Assembleia Municipal, que decorreu na freguesia do Norte Grande, foram aprovadas as contas consolidadas do exercício económico de 2013 do Município das Velas, que demonstraram um passivo de cerca de 8 milhões de euros.

Luís Silveira explicou que esta consolidação de contas “é o assumir das contas em termos de passivos”, ou seja, de divida quer do município quer das empresas municipais, “em que soma a totalidade do bolo da divida das duas empresas e da câmara”.

“O próprio relatório do Tribunal de Contas em relação à auditoria no âmbito das duas empresas municipais diz, claramente, quais são as consequências”, sendo que “com esta consolidação estamos na eminência de um saneamento financeiro”, uma vez que “estamos na linha da nossa capacidade de endividamento, absorvendo estes valores”, frisou o autarca velense.

Luís Silveira revelou que uma vez que não conseguem liquidar divida das empresas municipais, o que estão a fazer é com base na estimativa de cerca de 400 mil euros que faltam pagar das obras da Casa Cunha, que está a ser feita pela Velas Futuro, esperar que ao encerramento final da empresa esteja tudo liquidado, não transitando a divida para a câmara e “sendo o suficiente para não entrar em saneamento financeiro”.

“Nós temos uma capacidade de endividamento de 8 milhões e cerca de 400 mil euros, uma divida direta da câmara de 1 milhão e 800 mil euros e mais 6 milhões de divida das empresas”, revelou Luís Silveira.

De acordo com o autarca, o Município “está mesmo na tangente”, tendo sido já alertado pelo próprio Tribunal de Contas no seu relatório, que disse mesmo que “com esta consolidação das contas e com o encerramento das empresas, que tem de acontecer, provavelmente entram num processo saneamento”, situação que Luís Silveira espera e acredita que não se vai concretizar, uma vez que “tudo o que está executado na obra da Casa Cunha já está pago na íntegra”, tendo também já sido liquidada a fatura do mês de maio.

Luís Silveira referiu ainda que “esta não é uma situação simpática”, mas acredita que “mesmo com muita pouca folga o município vai conseguir escapar ao saneamento financeiro”, que de acordo com o autarca “era o pior que podia acontecer ao município velense”.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta