Nova linha de crédito vai reforçar competitividade das explorações agrícolas, afirma Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo dos Açores afirmou hoje que a nova linha de crédito, que será criada em breve, vai permitir fortalecer a competitividade das explorações agrícolas da Região, através do reforço dos fundos de maneio e de novos investimentos nesta área.

“Esta medida, a par da operacionalização tranquila do novo quadro comunitário de apoio, é um fator extremamente importante para podermos, também, lidar e ultrapassar a situação que vivemos neste momento” ao nível do preço do leite pago ao produtor, adiantou Vasco Cordeiro, após ter recebido a Direção da Federação Agrícola dos Açores.

Em declarações aos jornalistas, o Presidente do Governo considerou que, em relação ao sector do leite, é um facto que os Açores, apesar de em menor grau, não estão a escapar a uma tendência europeia, e mesmo mundial, de diminuição dos preços do leite pagos à produção.

“Isto acontece na Europa por variados motivos, que se prendem, por um lado, com a abolição do regime de quotas, mas, sobretudo, com o facto de o mercado europeu estar a ser sobrecarregado com leite que, anteriormente, tinha outros destinos”, adiantou Vasco Cordeiro, apontando o exemplo do embargo russo aos produtos lácteos europeus.

Após o encontro que decorreu em Ponta Delgada, o Presidente do Governo salientou que as relações comerciais que se “estabelecem entre quem compra e quem vende” têm merecido a atenção do Executivo Regional, no sentido de evitar situações de desequilíbrios nesta componente específica.

“Há, ainda, todo um conjunto de outras medidas que mais diretamente se repercutem na parte da comercialização dos produtos láteos e que acabam, também, por ter consequência em toda a fileira”, adiantou Vasco Cordeiro, apontando o exemplo de iniciativas que têm sido desenvolvidas pelo Governo em relação à Marca Açores, fator distintivo e de diferenciação que ajuda, também, à competitividade dos produtos regionais.

Além disso, o Presidente do Governo sublinhou que tem sido desenvolvido um trabalho de procura de novos mercados para os lacticínios dos Açores, caso do Canadá, aproveitando o novo quadro de relacionamento entre a União Europeia e este país.

O Presidente do Governo recordou, por outro lado, que, no âmbito do Sistema de Apoio à Promoção de Produtos Açorianos, de 2012 até ao atual momento, foram já investidos cerca de 4,3 milhões de euros, com uma parte significativa deste montante a ser dirigida ao leite e lacticínios.

“Temos uma situação que não depende, apenas, da intervenção regional, mas relativamente à qual o Governo dos Açores está a mobilizar todos os meios que tem à sua disposição, quer na fase de concretizar o que está planeado, quer, em articulação com os parceiros sociais, de definir novas medidas de apoio ao sector leiteiro regional”, assegurou Vasco Cordeiro.

Adiantou, ainda, que, ao nível estrutural, os investimentos efetuados em caminhos, abastecimento de água e fornecimento de energia, assim como os apoios à renovação do parque industrial de lacticínios, têm contribuído para o reforço da competitividade atual deste sector.

Relativamente ao sector da carne, o Presidente do Governo reafirmou que estão previstos cerca de 15 milhões de euros de investimentos nos matadouros de São Miguel, da Terceira e do Pico, assim como para a construção dos matadouros do Faial e da Graciosa.

No âmbito da diversificação agrícola, Vasco Cordeiro realçou, também, o bom aproveitamento de verbas para projetos de investimento do anterior quadro comunitário de apoio, o crescimento verificado no sector da floricultura e a grande dinâmica que se regista na recuperação a vinha, que constitui um contributo decisivo para a criação de emprego e de riqueza nos Açores.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta