“Novo modelo da Madeira prova que o Governo dos Açores foi determinante na proteção dos Açorianos” realçou Miguel Costa

O Grupo Parlamentar do PS destacou esta quarta-feira que o trabalho desenvolvido pelo Governo Regional na definição do novo modelo de acessibilidades aéreas dos Açores foi determinante para assegurar melhores condições de mobilidade aos Açorianos.

O Vice-Presidente do Grupo Parlamentar Socialista, reagindo à publicação em Diário da República da portaria que estabelece novas regras para os reembolsos das viagens aéreas entre a Região Autónoma da Madeira, o continente e os Açores, frisou que “os Açorianos têm hoje melhores condições para viajar para o continente e para a Madeira, porque o Executivo Regional Açoriano teve a coragem de enfrentar o Governo da República e defender o povo Açoriano de forma intransigente”.

Miguel Costa lembrou que o Partido Socialista “sempre defendeu uma abertura do espaço aéreo dos Açores, desde que salvaguardasse os residentes e estudantes Açorianos”, realçando o “teto máximo de 134 euros para residentes e 99 euros para estudantes, em vigor nos Açores”.

O deputado socialista destacou que “parece que as virtudes do Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, tão enaltecidas pelo PSD/Açores de Duarte Freitas não eram reais, já que o modelo de acessibilidades aéreas da Madeira piorou”.

“Com as novas regras, os Madeirenses apenas são reembolsados em viagens que custem até 400 euros e têm de aguardar 60 dias pelo reembolso”, situação que classificou como “mais um engano deste Governo da República da coligação PSD-CDS/PP aos Madeirenses” e pela qual os Açorianos não têm de passar, uma vez que “os reembolsos das viagens nos Açores não têm limite máximo e podem ser solicitados no dia imediato à realização da viagem”.

Miguel Costa criticou ainda Pedro Passos Coelho por “achar que a coesão se dá por quilómetro”, uma vez que as regras do novo modelo de acessibilidades aéreas da Madeira apoiam mais aquela Região que, na prática, se encontra mais próxima do continente português”.

“Não seria mais correto que o Governo da República apoiasse mais aqueles que estão mais longe do continente português, os Açorianos, contribuindo assim verdadeiramente para os objetivos de coesão social e territorial do nosso país, sem ter de fazer de conta?”, questionou o Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS, Miguel Costa.

GI PS Açores/RL Açores

Deixe uma resposta