Parlamento aprova Eletrificação da Caldeira de Santo Cristo – data de início e conclusão e medidas adotadas serão conhecidas no início de julho em S.Jorge (c/áudio)

O projeto de resolução do CDS-PP que propunha a eletrificação da Fajã de Santo Cristo com urgência foi, esta quarta-feira, aprovado, por unanimidade no parlamento regional com o compromisso da Secretária Regional do Ambiente, Energia e Turismo, de que a obra vai, com toda a certeza, ser realizada, considerando que para já seria “irresponsável” da sua parte, como a própria considerou, avançar com datas.

Marta Guerreiro fez ainda saber que estão desde terça-feira em São Jorge técnicos da EDA para estudar a situação.

A Secretária Regional da Energia explicou ainda que atualmente e como ficou patente na sua audição da Comissão de Economia, estão a ser equacionadas várias possibilidades para a eletrificação.

De acordo com Marta Guerreiro, a terceira hipótese é a mais viável quer do ponto de vista técnico, financeiro e ambiental.

A Eletrificação da Fajã de Santo Cristo é uma aspiração antiga dos jorgenses que ao que tudo indica é para avançar, mas ainda sem datas concretas, algo que a Secretária Regional do Ambiente, energia e turismo, se compromete a informar depois da reunião que vai decorrer em São Jorge no início de julho.

Oposição lamenta demora na concretização deste compromisso

A proposta do CDS foi então aprovada por todos os partidos, sendo que os da oposição não perderam a oportunidade de apontar o dedo ao governo, no sentido de que esta é uma promessa que já tarda em ser cumprida.

Catarina Cabeceiras do CDS-PP, na apresentação da iniciativa, lamentou exatamente a demora em fazer cumprir um compromisso já com alguns anos, na opinião da deputada jorgense.

Já António Pedroso, deputado do PSD eleito por São Jorge, ironizou dizendo que nesta altura os jorgenses já devem rezar ao Santo Cristo da Caldeira para que a eletrificação avance.

O parlamentar adiantou ainda que não se pretende que haja “um arraial de iluminação”, algo que a Secretária Regional garantiu que não vai acontecer, uma vez que a eletrificação da Caldeira não passará pela iluminação pública, mas apenas das casas.

Paulo Mendes, do Bloco de Esquerda, enumerou alguns dos aspetos que são importantes a ter em conta na Eletrificação da Fajã de Santo Cristo.

Por seu turno, o deputado do PPM, Paulo Estêvão, acusou o Governo de ineficácia no que respeita a este assunto.

João Paulo Corvelo, deputado único do PCP, destacou a importância deste assunto para os jorgenses, considerando que o que importa saber é quando é que a obra irá avançar.

André Rodrigues, deputado socialista eleito por São Jorge, assumiu, como se veio a tornar patente na votação, que o Grupo Parlamentar do PS concorda com a eletrificação da Caldeira, considerando que são necessários seguir alguns pressupostos.

Houve apenas um aspeto onde todos os partidos e até mesmo o Governo estiveram completamente de acordo ao considerarem que qualquer que seja a medida adotada é necessário salvaguardar aquele local detentor de tantas classificações ambientais, sendo da máxima importância evitar qualquer tipo de impacto ambiental que a eletrificação possa ter na Fajã de Santo Cristo.

André Rodrigues diz que compromisso da Eletrificação é do PS e não do CDS ou do PSD – Catarina Cabeceiras lamenta que CDS é que tenha que relembrar PS dos seus compromissos – António Pedroso quer saber onde para uma verba de 2006 referente à eletrificação

E num assunto respeitante à ilha de São Jorge, os deputados da ilha foram os que mais se manifestaram quanto à Eletrificação da Fajã de Santo Cristo. Num aspeto todos com a mesma opinião, a concordância com o avançar desta obra e a necessidade de ter em atenção o impacto ambiental no local, mas por outro lado a discordarem em alguns ponto, nomeadamente os deputados da oposição, do PSD e CDS, que criticaram a demora em fazer cumprir esta promessa do PS.

Ora face a tais críticas, André Rodrigues, o deputado socialista eleito por São Jorge, veio a debate dar justificações, dizendo mesmo que este não se trata de um compromisso eleitoral do PSD ou do CDS, mas sim do Partido Socialista.

Algo a que Catarina Cabeceiras, deputada do CDS-PP, respondeu prontamente.

Ora, já o deputado do PSD António Pedroso optou por não entrar em diálogo com os outros deputados eleitos por São Jorge e preferiu sim continuar a questionar a Secretária Regional.

A pergunta do deputado social-democrata foi no sentido de perceber o que aconteceu a uma parte da verba de um protocolo assinado em 2006 que incluía na eletrificação da fajã de São João, na Saramagueira e na Fajã dos Cubres também a eletrificação da Caldeira de Santo Cristo que acabou por não acontecer, pretendendo o parlamentar perceber o que aconteceu à parcela que deveria ter sido para a Caldeira.

A Secretária Regional da Energia respondeu dizendo que a verba não foi suficiente para avançar para a eletrificação da Caldeira.

Marta Guerreiro então a fazer saber que não serão necessárias mais intervenções nos arruamentos da Fajã de Santo Cristo para a passagem de eletricidade apenas para as casas.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta