Pescas com saldo positivo em São Jorge no ano de 2014

O presidente da Associação de Pescadores da Ilha de São Jorge (APISJ) fez um balanço positivo do ano de 2014 no que diz respeito ao setor da pesca na ilha. De acordo com António Laureno, em comparação com o ano de 2013 “os ganhos foram superiores” e houve um acréscimo em algumas espécies.

“Foi um ano melhor, os ganhos foram superiores em algumas espécies, houve um acréscimo na lula que para nós é uma espécie de valor acrescentado e houve um acréscimo também no goraz”, revelou o presidente da Associação de Pescadores, reiterando ainda que “foi um ano de mais ganho e o preço em lota foi melhor”.

No entanto, António Laureno também salientou alguns aspetos negativos, como as ajudas à pesca, referindo a suspensão da portaria 74 que se traduziu numa dificuldade “para pescadores que tiveram problemas com eletrónicos e com motores”. Contudo, o presidente da APISJ acredita que “tudo vai voltar à normalidade porque vai ser acionada uma nova portaria para o ano de 2015 para ajudas ao setor “.

No que diz respeito à questão do Fundopesca, o presidente da Associação de Pescadores comentou o recente acionamento para as ilhas do Grupo Ocidental.

“Como as ilhas dos Grupos Central e Oriental não preenchiam os requisitos, acionou-se apenas nas ilhas onde os requisitos foram corretos, nas Flores e Corvo”. O que, na opinião de António Laureno, não quer dizer que ainda este ano não se venha a acionar o Fundopesca para os outros dois grupos, referindo que “isso vai depender do tempo”.

“Seria bom que não fosse acionado, porque era sinal que havia bom tempo e que os pescadores estavam a ganhar dinheiro, mas se entretanto vier mau tempo nada garante que não seja acionado”, frisou o responsável pela APISJ.

De acordo com António Laureno o mês de dezembro “foi muito bom, janeiro também está a ser”, sendo que, por isso, “os ganhos estão a um nível razoável”, realçando que “não se pode ter a ideia que o Fundopesca é um saco sem fundo porque na verdade não é”.

Recorde-se que o Fundo de Compensação Salarial dos Profissionais da Pesca dos Açores, criado em 2002 e vulgarmente designado por Fundopesca, é ativado quando se verificam oito dias consecutivos de mau tempo ou quinze dias interpolados que evitem descargas em lota num período de 30 dias.

Quanto a expetativas para o corrente ano, o presidente da APISJ refere que ainda é muito cedo para adiantar algo, mas realça que “era bom que fosse um ano favorável para a apanha do atum e da lula”.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta