Home / Destaque / População do Topo reivindica obras prometidas há mais de 30 anos para aquele Porto e pede justificações a Vasco Cordeiro (c/áudio)
População do Topo reivindica obras prometidas há mais de 30 anos para aquele Porto e pede justificações a Vasco Cordeiro (c/áudio)

População do Topo reivindica obras prometidas há mais de 30 anos para aquele Porto e pede justificações a Vasco Cordeiro (c/áudio)

“Unidos pelo Porto do Topo” foi o movimento que deu vida à Manifestação que se realizou este domingo, com a população a reivindicar as obas prometidas há mais de 30 anos e a pedir justificações a Vasco Cordeiro.

“Queremos o Porto do Topo” foi a frase de ordem gritada este domingo pelas várias dezenas de pessoas que participaram na Manifestação.

“Palavra dada, palavra honrada… ou será que não?!” ou “queremos o nosso porto com mais investimento, mais obras e menos promessas” – eram apenas algumas das frases dos cartazes empunhados pelos manifestantes que reivindicaram as obras prometidas há mais de 30 anos.

Pedro Leonardes, do Grupo de Cidadãos Unidos pelo Porto do Topo, que adiantou ainda que a população quer saber porque é que o último projeto apresentado há pouco mais de um ano atrás pelo então secretário do Mar, Fausto Brito e Abreu, caiu por terra sem que tenha sido dada qualquer justificação.

Durante a manifestação foi ainda lida uma carta que foi depois assinada pelos presentes que assim o entenderam para ser remetida ao presidente do Governo, questionando-o, entre outros pontos, o porquê de ter abandonado a população do Topo.

A culpa, essa, é atribuída aos sucessivos governos desde 1975.

“Ver para crer” é agora o sentimento que predomina entre a população do Topo que se sente enganada.

Recorde-se que em julho de 2016, o então Secretário Regional do Mar, Fausto Brito e Abreu, anunciava a adjudicação da obra ao consórcio Mota-Engil, Engenharia e Construção, S.A. e ETERMAR – Engenharia e Construção, S.A. num investimento superior a seis milhões de euros.

A solução projetada previa a criação de uma nova rampa de varadouro, a construção de um molhe cais a sul do atual cais, sendo que na base da falésia será construído um muro para proteger a zona utilizável do terrapleno contra as quedas de material da falésia.

No entanto, em março de 2017, o agora Secretário Regional do Mar, Gui Meneses, fez saber que obra do Porto do Topo não iria avançar este ano, devido a um problema com o visto do Tribunal de Contas.

De acordo com o Secretário Regional, a ideia é lançar novamente o concurso ao longo deste ano para que em 2018 a obra do Porto do Topo possa então avançar, assegurando Gui Meneses na altura, em março deste ano,  que “este Governo tem intenção de realizar esta obra”.

Liliana Andrade/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top