Home / Açores / Presidente do Governo dos Açores anuncia Plano Regional para promover o sucesso escolar
Presidente do Governo dos Açores anuncia Plano Regional para promover o sucesso escolar

Presidente do Governo dos Açores anuncia Plano Regional para promover o sucesso escolar

O Presidente do Governo dos Açores anunciou este domingo, na Horta, uma série de medidas de combate ao insucesso e ao abandono escolar precoce, um dos principais desafios do sistema educativo regional, que vai contar com um Plano Regional composto por projetos especificamente destinados a este objetivo.

“O Plano Regional de Promoção do Sucesso Escolar vai ser concebido a partir da audição de todos os intervenientes no processo educativo, contará com uma Comissão Científica de reconhecida competência e orientará a luta mais difícil que enfrentamos em termos educativos: a do combate ao insucesso escolar e ao abandono escolar precoce”, afirmou Vasco Cordeiro.

Numa intervenção na inauguração das obras de remodelação e ampliação da Escola Básica e Integrada da Horta, que representou um investimento de cerca de 8,3 milhões de euros, e na véspera do início do ano letivo 2014/2015, o Presidente do Governo adiantou que este Plano vai congregar os projetos em curso e outros ainda a delinear e a implementar com e para as escolas dos Açores.

Depois de salientar que o domínio da língua e do raciocínio matemático são fundamentais para desenvolver as restantes competências, Vasco Cordeiro avançou que, neste novo ano letivo, vai ser disponibilizado, nos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, a todas as escolas, um crédito horário letivo adicional.

“Com ele, cada turma passa a dispor de mais 90 minutos semanais divididos entre as disciplinas de Português e de Matemática”, disse o Presidente do Governo, ao realçar que esta medida permite que, no 3.º ciclo, os alunos Açorianos possam beneficiar de mais uma aula semanal destas disciplinas, ficando com seis horas letivas em cada uma, enquanto no restante país se afetam apenas cinco horas letivas.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro realçou que, ainda ao nível do Português e da Matemática, no 1.º ciclo, a intervenção para o reforço destas competências faz-se centrada nos professores, através do Programa de Formação e Acompanhamento Pedagógico aos Docentes do 1.º ciclo do ensino básico, iniciado em 2013/14 e que o Governo decidiu manter este ano.

Outra das novidades anunciadas pelo Presidente do Governo tem a ver com a criação dos mediadores escolares, que vão ajudar alunos com percursos marcados pelo insucesso e risco de abandono escolar a “desmontar crenças negativas ao nível da autoestima e do autoconhecimento, a descobrir áreas vocacionais de interesse, a gerir o tempo e o estudo, a ser persistentes e autónomos, para concluírem a sua escolaridade com o sucesso desejado”.

Oito escolas dos Açores vão implementar este projeto, orientado para o desenvolvimento das competências não cognitivas, mas essenciais ao sucesso escolar dos jovens em risco de insucesso escolar.

Ainda ao nível do combate ao insucesso escolar, o Governo decidiu alargar o Projeto Fénix a 18 unidades orgânicas, passando dos 26 projetos desenvolvidos em 2013/14 para um total de 37 projetos neste ano letivo, através do seu alargamento a vários anos de escolaridade, disse.

No âmbito da diversificação dos percursos formativos, Vasco Cordeiro anunciou que, nos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, serão implementados cursos de formação vocacional, que permitirão aos alunos, para além da conclusão de ciclo, um contacto com três diferentes atividades vocacionais, orientadas para uma futura integração no mundo do trabalho, e momentos de prática simulada, preferencialmente em contexto de empresa.

“Como pretendemos reforçar nestes cursos o desenvolvimento de competências do foro comportamental, relacional, social e de orientação profissional, introduzimos uma componente de desenvolvimento pessoal e social e mediação escolar, uma novidade face às matrizes aprovadas a nível nacional”, salientou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo, depois de destacar o lugar central que a Educação ocupa na estratégia de desenvolvimento para os Açores, frisou que é em cada uma das escolas que se pode verdadeiramente aferir a qualidade das respostas dadas no âmbito do Regime Educativo Especial, mas também dos apoios educativos e do programa Oportunidade.

Nesse sentido, uma equipa técnica da Direção Regional da Educação deslocou-se, em 2013/14, a 19 unidades orgânicas para acompanhar a organização e o funcionamento da Educação Especial, do Apoio Educativo e do Programa Oportunidade, recordou o Presidente do Governo, anunciando que o mesmo acontecerá com todas as restantes escolas ao longo do novo ano letivo.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro defendeu, por outro lado, uma “aliança que se deve forjar entre todos os intervenientes”, desde logo, alunos, famílias e professores, com vista à criação de condições para o sucesso escolar.

“Essas começam em casa de cada família Açoriana, onde a Educação e a criação de condições para o seu sucesso constitui um direito e um dever de cada Pai e de cada Mãe”, disse.

“O Governo quer e está a trabalhar para que, na parte que lhe cabe, e essa parte não é de pouca monta, se criem, cada vez mais, as condições para o sucesso e para a realização plena da importância que a Educação tem para o nosso futuro coletivo”, assegurou.

O Presidente do Governo referiu ainda que, no que respeita à diversificação da oferta formativa de nível secundário, no âmbito da Formação Profissional, o Executivo tem desenvolvido um “enorme esforço” para dotar as escolas dos meios mais adequados, sempre em linha com a gestão racional dos recursos disponíveis.

“Com efeito, para além dos cursos científico-humanísticos, mais vocacionados para o prosseguimento de estudos, temos 107 cursos em funcionamento nas escolas profissionais, 35 dos quais no primeiro ano”, afirmou.

Na véspera do arranque do ano letivo, Vasco Cordeiro adiantou que, em matéria de concurso de pessoal docente, todos os procedimentos concursais para o ano escolar de 2014/2015 decorreram e estão a decorrer como planeado, no sentido de assegurar que as escolas públicas da Região dispõem dos recursos humanos necessários ao seu normal funcionamento.

Neste ano letivo, na rede pública, mais de 4.700 docentes, apoiados por cerca de 2.300 funcionários que trabalham nas mais de 175 escolas dos Açores, vão dedicar-se à formação de quase 41 mil crianças e jovens Açorianos.

GaCS/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top