Presidente do Governo recebeu Comissão de Defesa Nacional da Assembleia da República

O Presidente do Governo recebeu terça-feira, em Ponta Delgada, a Comissão de Defesa Nacional da Assembleia da República, uma oportunidade para Vasco Cordeiro informar os deputados sobre o processo da Base das Lajes e fazer uma apreciação muito positiva da missão desempenhada pelas Forças Armadas portuguesas na Região.

“Tive a oportunidade de transmitir a nossa perspetiva sobre as diversas componentes que apresenta o processo da Base das Lajes”, ao nível ambiental e económico, na sequência da decisão norte-americana de reduzir a sua presença civil e militar na ilha Terceira, afirmou Vasco Cordeiro.

Em declarações aos jornalistas, o Presidente do Governo adiantou que neste encontro foi também apresentado o trabalho que tem sido feito com o Governo da República, no âmbito do Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT).

Nesse sentido, apontou, entre outros exemplos, a operação de voos low-cost para esta ilha, a certificação em curso da Base das Lajes para utilização permanente por aeronaves civis e a candidatura do Porto da Praia da Vitória ao chamado Plano Junker.

“Gostaria, também, de dar nota pública de que transmiti à Comissão de Defesa Nacional o trabalho excecional que as Forças Armadas desempenham na nossa Região e que, sobretudo na componente de auxilio às populações, muitas vezes em momentos de grande angústia, como as calamidades naturais, é o que tem maior visibilidade”, mas também ao nível das evacuações médicas, destacou Vasco Cordeiro.

“Infelizmente, na nossa história mais recente têm sido vários os acontecimentos em que as Forças Armadas – Exército, Força Aérea e Marinha – responderam presente e deram um contributo e um apoio inestimável para a normalização dessas situações e para o auxilio às populações”, disse.

De acordo com o Presidente do Governo, este foi um encontro produtivo e útil, pela constatação, por um lado, que os deputados da Comissão de Defesa Nacional estão bem informados em relação a estas questões e, por outro, pelo que permitiu de troca de impressões quanto à perspetiva que o Governo dos Açores tem em relação a cada um destes assuntos.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta