Primeiro evento cultural da autarquia das Velas em tempos de pandemia enalteceu poetisa jorgense (c/áudio)
Luís Silveira – Presidente CMV
Henrique Levy – “Nona Poesia”

Naquele que foi o primeiro evento cultural organizado pela Câmara Municipal de Velas em tempos de pandemia, o destaque foi todo para a poetisa jorgense Marianna Belmira de Andrade. Decorreu na passada sexta-feira, no Jardim da República, o lançamento de uma reedição de um livro desta ecritora, nascida e criada em São Jorge, initulado “Sibylla – Versos Philosóficos”.

No início do evento, o presidente da autarquia destacou, claro, a organização do evento em si e a importância do mesmo no que diz respeito à artista em causa.

“Marianna Belmira de Andrade nasceu na ilha de São Jorge, a 31 de dezembro de 1844 e na mesma ilha veio a falecer, a 17 de fevereiro de 1921” – é esta a referência biográfica que encontramos neste livro que foi escrito em 1884.

Agora coube à Editora Açoriana “Nona Poesia”, coordenada por Henrique Levy, a reedição deste livro esquecido, como o próprio indicou.

Na apresentação do mesmo, no Jardim da República, Henrque Levy falou sobre a autora e sobre este livro de poesia em particular, relevando as suas características poéticas.

Henrique Levy relevou ainda alguns aspetos da vida de Marianna Belmira de Andrade.

De salientar que este é o primeiro livro editado pela Nona Editora, com Henrique Levy ainda a realçar a grande feminista que era já naqueles tempo Belmira de Andrade, sendo que deste livro constam ainda poemas que enaltecem o papel da mulher na sociedade.

 

 

 

 

 

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta