Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados abrangerá este ano todas as ilhas dos Açores

A Secretária Regional da Solidariedade Social e o Secretário Regional da Saúde apresentaram hoje, em Angra do Heroísmo, as linhas mestras para o funcionamento da Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados (RRCCI) que abrangerá este ano todas as ilhas dos Açores e funcionará todos os dias do ano.

“A rede passará a estar presente em todas as ilhas, de Santa Maria ao Corvo, terá 15 unidades de internamento de cuidados continuados, num total de 210 camas, e três unidades de internamento hospitalar, com mais 20 camas para internamento em cuidados paliativos”, afirmou Andreia Cardoso, numa conferência de imprensa conjunta.

Serão ainda constituídas 17 equipas de apoio domiciliário integrado, a funcionar em todas as ilhas, todos os dias do ano, e 17 equipas comunitárias de suporte em cuidados paliativos, que também funcionarão todos os dias do ano.

“Ao longo do primeiro trimestre de 2015 teremos a constituição das equipas, mas também a formação destas equipas para que possam desenvolver o seu trabalho a nível de ilha”, frisou Luís Cabral.

As verbas previstas no Orçamento da Região para o funcionamento desta rede em 2015 foram reforçadas em 56% face ao ano anterior, ascendendo o investimento público nesta área a cerca de 2,3 milhões de euros, um reforço que Andreia Cardoso considerou ser “muito substancial” e ilustrativo do empenho do Executivo.

A Secretária Regional da Solidariedade Social salientou que uma das grandes prioridades definida para 2015 é o reforço das equipas de apoio domiciliário, não só como uma resposta de proximidade, mas também como forma de garantir a equidade no acesso aos cuidados médicos na Região.

As Instituições Particulares de Solidariedade Social, parceiras da rede, têm um “papel chave” na operacionalização da RRCCI, especialmente ao nível da articulação com as unidades de saúde, da disponibilização de equipas de apoio ao domicílio e de camas para internamento em cuidados continuados integrados.

Luís Cabral salientou que a rede cuidados continuados integrados visa promover “a autonomia dos utentes através da prestação integrada de cuidados de saúde e apoio social, mediante um conjunto de respostas que, articulando diferentes linhas e modalidades de intervenção, contribuem para a melhoria do acesso das pessoas com perda de funcionalidades a cuidados técnica e humanamente adequados”.

No final da conferência de imprensa conjunta, foram assinados protocolos de cooperação com as Instituições Particulares de Solidariedade Social que integrarão a rede na ilha Terceira.

A Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo e o Lar D. Pedro V disponibilizarão, respetivamente, 36 e 10 camas para internamento em cuidados continuados integrados.

Por seu lado, o Hospital de Santo Espírito disponibilizará seis camas para internamento em cuidados paliativos.

O Jornal Oficial publicou hoje o despacho conjunto que, na sequência do trabalho desenvolvido pela Estrutura de Missão da Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados no levantamento das necessidades da Região em matéria de cuidados continuados, fixa as linhas mestras do funcionamento da RRCCI.

GaCS

Deixe uma resposta