Reservas Florestais de Recreio devem estar ao serviço da comunidade, defende Luís Neto Viveiros

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente destacou este domingo a importância de espaços como as Reservas Florestais de Recreio, que existem em todas as ilhas dos Açores, estarem “ao serviço da comunidade” em que estão inseridas.

Luís Neto Viveiros falava à margem da cerimónia de rededicação a Nossa Senhora da Paz da Ermida da Reserva Florestal de Recreio do Pinhal da Paz, que permitiu a sua reabertura à comunidade da Paróquia da Fajã de Baixo, em Ponta Delgada.

A cerimónia realizou-se no final de uma romaria, retomada depois de muitos anos sem se realizar devido ao desaparecimento das imagens religiosas, ocorrido antes das obras de recuperação desta área natural promovidas pela Região.

A Reserva Florestal de Recreio do Pinhal da Paz, com 49 hectares, foi adquirida em 1988, tendo a sua gestão sido atribuída em 1998 aos Serviços Florestais de São Miguel, iniciando-se a partir desse ano os trabalhos de recuperação da área e dos edifícios existentes, nomeadamente dos que são atualmente a Casa de Guarda e o Centro de Divulgação para visitantes, assim como da pequena ermida dedicada a Nossa Senhora da Paz.

Com o objetivo de retomar a tradição da romaria anual, a paróquia e os paroquianos da Fajã de Cima propuseram-se este ano oferecer novas imagens religiosas, numa iniciativa que a Reserva Florestal de Recreio do Pinhal da Paz apoiou e se associou, preparando a Ermida para as receber.

As cerimónias hoje realizadas culminaram com a realização de um convívio no Pinhal da Paz, que contou com a participação do Grupo Folclórico de Santa Cecília, do Grupo de Romeiras, Escuteiros e Guias, da Filarmónica Nossa Senhora da Oliveira, do Grupo Coral e da Junta de Freguesia da Fajã de Cima, que se associaram a esta iniciativa.

GaCS

Deixe uma resposta