Rui Bettencourt defende importância da diáspora na projeção externa dos Açores

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas defendeu, em Fall River, nos Estados Unidos da América, que as comunidades açorianas, nos diversos países onde estão radicadas, são “claramente determinantes para um efetiva projeção externa dos Açores”.

Rui Bettencourt, que falava perante mais de 500 pessoas no jantar de encerramento da 31.ª edição das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Nova Inglaterra, sublinhou  a relevância crescente que a diáspora açoriana assume na economia, na política, na ciência e na ação cívica.

“É nesta dimensão que as interações com a diáspora personificam a cultura de origem, fomentam as ligações económicas e políticas, fortalecem os elos familiares e sociais” afirmou o governante, frisando que “permitem promover os interesses regionais no estrangeiro”, bem como divulgar internacionalmente a imagem dos Açores.

Para o titular da pasta das Relações Externas, a diáspora “traz uma dimensão mundial aos Açores” devido ao facto de haver Açorianos em todo o Mundo, reforçando assim a Região porque “onde está um Açoriano estão os Açores”.

Na sua intervenção, agradeceu a todos os que colaboram anualmente na organização daquela que é a maior manifestação cultural e religiosa açoriana na diáspora, manifestando o desejo que este continue a ser “fator dinamizador e promotor do valioso património sociocultural que nos é comum”.

“Pudemos testemunhar não apenas o pulsar genuíno da alma açoriana, mas também a força de uma comunidade que se afirma, que tem orgulho das suas raízes e que deseja integrar o seu legado nos seus projetos de futuro”, afirmou o Secretário Regional.

Rui Bettencourt salientou ainda que o culto do Divino Espírito Santo “une os Açorianos” onde quer que estejam e “alimenta um fio condutor da nossa história”, considerando que isso também dá “alento” para projetar o futuro, “unidos e confiantes”.

Nesta deslocação aos Estados Unidos da América, o Secretário Regional reuniu-se com a PALCUS – Portuguese American Lidership Council of United States, onde considerou que as relações “fortes e amigáveis” entre os EUA e os Açores devem ser “reforçadíssimas nos próximos tempos forçosamente”.

“Nós temos um magnífico trabalho pela frente: desenhar com pertinência estas relações para vantagem dos Açores, de Portugal e dos Estados Unidos”, afirmou.

Para o governante, nesta “nova era nas relações internacionais” são várias as realidades que colocam os Açores com uma importância particular, nomeadamente a importância da diáspora açoriana, a localização do arquipélago entre a Europa e os EUA, “um nó de uma rede logística comercial”, a importância crescente do mar dos Açores e o aumento dos fluxos turísticos na Região.

No âmbito das diversas atividades das Grandes Festas do Divino Espírito Santo, Rui Bettencourt incorporou ainda a procissão de coroação, o cortejo do bodo do leite e o desfile etnográfico, além de ter estado presente na cerimónia de entrada das insígnias, bênção e distribuição de pensões.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta