Serviço Regional de Saúde melhora resposta aos cidadãos, afirma Rui Luís

O Secretário Regional da Saúde afirmou hoje, na Horta, que o Serviço Regional de Saúde tem melhorado a sua capacidade de resposta aos cidadãos, de acordo com os dados evidenciados no Relatório de Avaliação Intercalar do Plano Regional de Saúde.

“Servindo este relatório como diagnóstico de situação, é importante referir que, apesar dos resultados crescentes, existem áreas com oportunidades de melhoria no Serviço Regional de Saúde, para as quais estamos a dirigir a nossa intervenção e que estão a merecer uma intervenção sustentada e estruturada” frisou Rui Luís, numa intervenção na Assembleia Legislativa.

Este relatório, já entregue no Parlamento, evidência indicadores de saúde e resultados obtidos entre os anos 2014 e 2016, permitindo uma monitorização da concretização do Plano Regional de Saúde.

Rui Luís, que falava num debate sobre o funcionamento do Serviço Regional de Saúde, considerou este debate como uma oportunidade de apresentar o trabalho desenvolvido ao longo do primeiro ano de mandato.

Os dados do relatório revelam que, no que se refere a recursos humanos, houve um aumento, em 2016, do número de médicos, atingindo um total de 599, sendo que o número de enfermeiros – 1.545 – também é o mais elevado em 2016.

Neste período, registou-se um aumento de 23% no total de consultas, sendo que o aumento de consultas nas Unidades de Saúde de Ilha foi de 36% e nos Hospitais de 11%, atingindo-se cerca de 790 mil consultas.

Por outro lado, nos cuidados de saúde primários, as consultas de enfermagem aumentaram cerca de 160%.

Na sua intervenção, o Secretário Regional da Saúde sublinhou ainda que, “nas ilhas sem hospital, o número total de consultas efetuadas pelos médicos especialistas tem vindo a aumentar, registando-se 3.612 consultas em 2014 e 8.462 em 2016”.

“O Serviço Regional de Saúde é um sistema complexo, com realidades bastantes distintas de ilha para ilha e em permanente mutação, o que impõe constantemente novos desafios, obrigando a uma adaptação atenta e oportuna”, frisou Rui Luís.

O titular da pasta da Saúde afirmou também que é importante a consciencialização de todos que a aposta na prevenção e promoção da saúde não se reflete no imediato, acrescentando que “os resultados, a médio prazo, serão provenientes de mudanças de comportamentos e da adoção de atitudes saudáveis”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta