Tema “Recordar a Crise Sísmica de 1964” marca sessão solene do feriado municipal (c/audio)

Comemorou-se ontem, dia 23 de Abril, o dia do padroeiro São Jorge no concelho das Velas. No âmbito da sessão solene que marca o feriado municipal, Luís Silveira, presidente do Município, recordou os momentos vividos na crise sísmica de 1964, tema das festividades deste ano.

O autarca referiu todos os efeitos negativos trazidos com o sismo de 1964, desde a completa destruição, o abandono por parte das pessoas que tiveram de deixar as suas casas, os seus pertences e mesmo a sua terra em busca de uma maior segurança e de melhores condições.

Passados 50 anos, Luís Silveira falou na reconstrução, dizendo mesmo que “a fé do povo e a sua coragem permitiu reconstruir esta terra determinando que voltassem a esperança e a felicidade perdidas”.

“Graças aos nossos concidadãos de há cinco décadas e aos valores que colocaram ao serviço da sua comunidade, da nossa terra, as Velas são hoje um concelho onde, apesar das dificuldades conhecidas de todos, as pessoas vivem melhor”, frisou o presidente do município velense.

No entanto, Luís Silveira recordou as exigências modernas, que levam por vezes as pessoas a valorizarem menos o que têm, deixando o futuro em aberto.

Luís Silveira salientou que “temos o dever e a obrigação de contribuir e deixar a quem nos seguirá um legado melhor”, sendo que “esse legado também deve ser de esperança, de convicção, de valores e de optimismo.”

Marcou também presença nesta sessão solene João Almeida, Secretário de Estado da Administração Interna, tendo destacado sobre o tema das festividades a importância de “ter memória”, recordando o passado para um melhor futuro.

João Almeida enalteceu também o painel de azulejos inaugurado no mesmo dia, da autoria de António Pedroso, que de acordo com o Secretário de Estado “teve o brilhantismo de pôr num simples painel de azulejos um pedaço de história tão relevante, não só na sua parte formal, mas conseguindo transmitir também a alma de uma época tão difícil”, destacando a grande capacidade que “um povo teve de fazer das fraquezas forças”.

O Secretário de Estado elevou também o papel da proteção civil, dizendo que é preciso “trabalhar para o pior esperando que ele nunca aconteça”.

Por outro lado, João Almeida aproveitou a ocasião para abordar os 40 anos do 25 de Abril, referindo que duas coisas importantes que “resultaram do processo democrático pós 25 de Abril, uma é o poder local democrático e outra são as autonomias”.

De salientar que no decorrer desta sessão solene, o presidente da autarquia velense deu os parabéns à Rádio Lumena pelos seus 26 anos, bem como a todas as pessoas que colaboram para informar e acompanhar diariamente a população.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta