Trabalho de combate às pragas desenvolvido na Região “tem base científica”, afirma Luís Neto Viveiros 

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente assegurou esta quarta-feira, na Assembleia Legislativa Regional, que o combate às pragas é uma matéria que “preocupa” o Governo, que “preocupou os governos anteriores” e, nesse sentido, tem “base científica” e “uma história sólida”.

Luís Neto Viveiros referia-se às diferentes medidas, estudos e planos criados e implementados na Região para combate às diversas naturezas de pragas animais e vegetais e para a monitorização das suas densidades populacionais, assim como das de espécies protegidas.

Evidenciando o trabalho desenvolvido ao longo dos anos e a legislação existente, em conformidades com regras internacionais e que estabelece e envolve a responsabilidade de várias entidades, como autarquias ou privados, assim como o envolvimento de diferentes departamentos da Administração, o Secretário Regional referiu-se ainda à aposta e ao investimento feito em formação profissional.

Nesse sentido, salientou que foi desenvolvido um plano de formação gratuito destinado a agricultores e a “empresas que utilizam e aplicam produtos para combate aos roedores” que, só no ano passado, permitiu habilitar “199 técnicos, 214 operadores e 36 inspetores”.

Luís Neto Viveiros garantiu que, embora o Governo esteja “a desenvolver um trabalho sério, com base científica”, entende considerar “o mérito” de todos os contributos, tendo em vista o aumento da eficácia e a necessária adequação às dinâmicas populacionais das espécies e aos seus consequentes efeitos nos equilíbrios ecológicos e na saúde e atividades humanas.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta