Home / Destaque / Tradições do Espírito Santo continuam a ser celebradas em São Jorge com muita devoção (Reportagens c/áudio)
Tradições do Espírito Santo continuam a ser celebradas em São Jorge com muita devoção (Reportagens c/áudio)

Tradições do Espírito Santo continuam a ser celebradas em São Jorge com muita devoção (Reportagens c/áudio)

A RL Açores esteve nas freguesias dos Rosais e Urzelina e no lugar da Beira a acompanhar as festividades.

 

 

Tradição das Mordomias no Sábado de Espírito Santo mantém-se na Beira e em Rosais

No sábado de Espírito Santo, na lha de São Jorge, há festividades por toda a ilha.

Na freguesia dos Rosais e da Beira realizam-se as tradicionais mordomias e o enfeitar dos carros de bois, tradições já muito antigas e que ainda hoje perduram, tudo em prol da fé pelo Espírito Santo.

Em São Jorge há tradições do Espírito Santo que perduram desde os primórdios de algumas freguesias, como é o caso da freguesia dos Rosais.

O sábado de Espírito Santo começa cedo para os mordomos e ajudantes da festa.

Ao longo do dia de sábado há a Mordomia, com distribuição de vinho, sumo, queijo e massa sovada para toda a gente.

João Nunes, um dos Mordomos da festa, falou à RL Açores.

Uma tradição que para quem é emigrante como João Nunes nunca perde o significado especial.

A par da mordomia enfeitam-se também durante o dia os carros de bois. João Sequeira é um dos homens que dá as instruções de ornamentação.

Depois de concluídos e já ao final do dia, os carros vão em cortejo, e puxados por juntas de bois, até ao Império do Divino Espírito Santo para a bênção das esmolas.

De Rosais para a Beira, a tradição é bastante semelhante.

O enfeitar dos carros de bois que ao fim da tarde percorrem as principais vias é também uma tradição que ainda hoje se mantém.

E ao longo do dia há também a tradicional mordomia e preparam-se as coisas para o dia maior, o Domingo do Espírito Santo.

Vânia Chaves foi uma das Mordomas da festa.

Com mais ou menos gente a tradição vai se cumprindo e a época do Espírito Santo continua a ser festejada por toda a ilha com muito trabalho e acima de tudo com muita devoção pelo Espírito Santo.

Tradição centenária do Bando da Urzelina ainda perdura

Na freguesia da Urzelina existe uma tradição centenária que ainda perdura.

No sábado do Espírito Santo sai à rua o tradicional Bando da Urzelina que se caracteriza pela crítica de temas atuais da freguesia e da ilha, como explicou uma das Mordomas da festa, Maria Pereira.

Montados a cavalo, o bando, que este ano foi constituído por dois dos mordomos da festa, percorre a freguesia em conjunto com os carros de bois que foram ornamentados ao longo da manhã.

Este ano mesmo com algumas alterações a tradição manteve-se.

Desde que Maria Pereira se lembra sempre existiu o Bando e sempre nesta época do Espírito Santo.

Uma tradição que no passado aproveitava o facto de as pessoas se reunirem em festa nesta época e procurava transmitir uma crítica por vezes positiva e por outras vezes negativa , algo que ainda hoje é assim.

Cavaleiros e Foliões animam a tarde do Domingo de Espírito Santo

No Domingo do Espírito santo saem à rua em algumas freguesias os foliões e cavaleiros.

Uma tradição muito antiga, mas que ainda hoje em da se mantém e continua a chamar muita gente, nomeadamente aos Rosais e à Beira.

Ao som dos foliões com os seus tambores e cantares alusivos às festividades, na tarde do Domingo de Espírito Santo saem à rua os cavaleiros na freguesia dos Rosais e no lugar da Beira.

Na Beira, apesar das muitas alterações a tradição mantém-se, não com o mesmo simbolismo de antigamente, mas ainda assim a demonstração dos cavaleiros e foliões continua a chamar muita gente.

Sérgio Oliveira, folião na Beira, falou à RL Açores sobre esta tradição.

No local da Beira os mordomos servem sopas para todas as pessoas que queiram aparecer desde a hora de almoço até perto das 21h.

Também na freguesia dos Rosais, a tradição é muito antiga e tem um grande simbolismo, tal como explicou João Sequeira.

Uma tarde de grande diversão para os jovens e também para os mais velhos que podem roubar o que os cavaleiros trazem nas chamadas ramadas.

Tradições muito próprias que deslumbram principalmente quem não é açoriano.

Tanto na Beira como em Rosais ao final da tarde os mordomos distribuem por todos os presentes os chamados Bolos de Véspera.

Tradições que voltam no próximo fim-de-semana, quando se celebra a Santíssima Trindade.

Liliana Andrade/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top