Politica

Transparência e rigor nas decisões políticas são essenciais para a democracia, considera Paulo Mendes

“Num mundo em que os interesses públicos se submetem cada vez mais a interesses privados, a transparência e o rigor das decisões políticas é cada vez mais importante”, disse Paulo Mendes, candidato da lista do BE à Assembleia da República pelos Açores, revelando que o BE volta a incluir no seu programa instrumentos de combate à corrupção, como o alargamento do período durante o qual ex-governantes e ex-gestores públicos não podem trabalhar em empresas do sector que tutelaram ou com as quais tenham realizado contratos.

Numa conferência de imprensa realizada esta manhã, o terceiro candidato do BE pelo círculo dos Açores apontou uma série de exemplos de falta de transparência e de negócios com contornos estranhos com o sector privado, a começar pela questão da radioterapia nos Açores, que estava inicialmente prevista para o Hospital de Angra do Heroísmo, mas que, por razões obscuras, vai afinal ser em Ponta Delgada.

“Trata-se de uma duplicação de custos, porque na Terceira já existe o ‘bunker’ necessário para a radioterapia, e que agravou o preço do hospital em alguns milhões de euros, mas que ficará inutilizado porque foi decidido que a radioterapia deveria ser feita em São Miguel”, acusou Paulo Mendes, que apontou o dedo também ao secretário regional da Saúde: “primeiro disse que o preço por utente da radioterapia nos Açores seria o mais baixo do País, depois confirmou que afinal vai ser o mais caro…”.

Mas há outros exemplos de negócios muito pouco rigorosos e transparentes nos Açores, como as SCUT em São Miguel, que têm um custo de 30 milhões de euros por ano, durante várias décadas, a comparticipação com dinheiros públicos de propinas de alunos de colégios privados, e o facto de Governo beneficiar as companhias low-cost quando estas fazem concorrência directa à SATA, que é totalmente pública.

“É muito estranho, por exemplo, que a Região pague a uma empresa privada de aviação para estabelecer ligações da Terceira com Madrid e Boston, que poderiam ser asseguradas pela sua própria empresa, a SATA”, alertou Paulo Mendes.

GI BE Açores/RL Açores

Comment here